Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 01 de março de 2018.

Jornal do Comércio

Automotor

COMENTAR | CORRIGIR

Lançamento

Notícia da edição impressa de 02/03/2018. Alterada em 01/03 às 19h35min

Amarok V6 Highline se posiciona como a picape média mais potente do mercado nacional

Carroceria mede 5,25 m de comprimento, com 3,10 m de entre-eixos

Carroceria mede 5,25 m de comprimento, com 3,10 m de entre-eixos


VOLKSWAGEN/DIVULGAÇÃO/JC
Custando R$ 184.990,00, a novidade chega para complementar a oferta do utilitário no Brasil. Com carroceria cabine dupla, a Amarok V6 se diferencia visualmente das demais versões pelos logotipos na grade do radiador e na tampa traseira, e pelos retrovisores pintados na cor preto Mystic, com detalhes cromados.
De última geração, o novo motor diesel de 3.0 litros e seis cilindros em "V" combina tecnologia de injeção direta de combustível common-rail e turbocompressor de geometria variável. O propulsor tem acionamento dos comandos por correntes, que não requerem manutenção, e circuitos separados de arrefecimento para o cabeçote e o bloco, o que causa melhor gerenciamento da temperatura de funcionamento.
A unidade motriz fornece à picape média da Volkswagen 225 cv de potência na faixa de 3.000 a 4.500 rpm. Um elevado torque de 550 Nm começa a atuar aos 1.500 giros, mantendo-se pleno até as 2.500 rotações.
Em relação ao motor de 2.0 biturbo de quatro cilindros que acompanha as versões Trendline e Highline automáticas, o ganho é de 25% em potência (45 cv a mais) e de 31% no torque (130 Nm extras). O resultado de tanta força é que a Amarok V6 se comporta quase como um veículo esportivo: sua velocidade máxima atinge 190 km/h, e a aceleração de zero a 100 km/h ocorre em apenas oito segundos.
Para lidar com tanta força, o câmbio automático de oito marchas da Amarok V6 mudou. Embora a estrutura da transmissão seja a mesma utilizada nas demais versões da picape, houve uma recalibração para suportar as pressões superiores.
O conjunto motriz ainda inclui a tração permanente nas quatro rodas 4Motion. A Amarok V6 Highline conta com freios a disco nas quatro rodas e sistema ABS off-road, que auxilia na frenagem sobre piso solto, como terra ou cascalho.
A eletrônica embarcada impressiona para um utilitário. A frenagem automática pós-colisão (exclusivo na categoria), por exemplo, aciona automaticamente os freios quando o veículo se envolve em uma batida, para reduzir a energia cinética residual.
A picape da Volkswagen ainda vem com controles de estabilidade e tração, assistentes de descida e de partida em rampa, bloqueio eletrônico do diferencial e indicador de perda de pressão dos pneus. No campo da segurança, lista quatro air bags (dianteiros e laterais de tórax e de cabeça para motorista e passageiro), além de sistema Isofix para fixação de cadeiras para criança no banco traseiro.
Já o sistema Park Pilot, complementado pela câmera de ré, torna mais fácil a tarefa de estacionar a Amarok. Há sensores de estacionamento na dianteira e na traseira da picape. Os faróis são bi-xenônio com luz de condução diurna em LED.
Na cabine, destaque para a central de infoentretenimento Discover Media, com tela colorida sensível ao toque de 6,33 polegadas, leitor de CD, duas entradas para SD-Card, Aux-in e porta USB. Na Amarok V6 Highline, o sistema ainda oferece funções apropriadas ao off road: bússola, ângulo de direção das rodas e altímetro (em referência ao nível do mar).
Com a V6 Highline, a Amarok passa a contabilizar sete variantes e três faixas de potência. A versão S (disponível em cabine simples ou cabine dupla) vem com motor 2.0 turbodiesel de 140 cv de potência e 340 Nm de torque, associado ao câmbio manual de seis marchas. As configurações SE, Trendline e Highline utilizam propulsor 2.0 diesel biturbo de 180 cv que entrega 400 Nm de torque com câmbio manual na versão SE e 420 Nm com caixa automática de oito marchas nas opções Trendline e Highline.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia