Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 01 de agosto de 2018.

Jornal do Comércio

JC Contabilidade

COMENTAR | CORRIGIR

Justiça Eleitoral

Edição impressa de 01/08/2018. Alterada em 31/07 às 17h32min

Encontro detalha aspectos importantes da prestação de contas eleitorais

Evento buscou preparar profissionais e esclarecer aspectos quanto às campanhas dos candidatos

Evento buscou preparar profissionais e esclarecer aspectos quanto às campanhas dos candidatos


/CRCRS/DIVULGAÇÃO/JC
O Conselho Regional de Contabilidade (CRCRS) realizou, em parceria com o Conselho Federal de Contabilidade (CFC) e o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RS), o ciclo de palestras Contabilidade Eleitoral - da Teoria à Prática. O objetivo foi preparar os profissionais aos desafios a serem encarados este ano durante as eleições e esclarecer aspectos do processo eleitoral no que tange à prestação de contas das campanhas eleitorais.
Durante o encontro foram debatidos aspectos da atuação da Justiça Eleitoral e do profissional da contabilidade na prestação de contas e na contabilidade eleitoral. Na abertura do evento, o vice-presidente de Relações Institucionais do CRCRS,
Celso Luft, salientou a necessidade da abordagem do tema, neste momento pré-eleitoral, uma vez que somente profissionais da contabilidade estão aptos a realizar a prestação de contas eleitorais.
O contador Cristiano Aguiar, coordenador de Auditoria do TRE-RS, apontou a atuação da justiça eleitoral na prestação de contas. Aguiar explicou como deve ocorrer a retificação da prestação de contas, o detalhamento da origem dos recursos, o que ocorre no caso de fontes de recursos vedadas e a forma de comprovação da aplicação do Fundo Partidário (já que não basta a apresentação de nota fiscal), dentre outros pontos.
Os contadores Rodrigo Kich, coordenador da Comissão de Estudos das Organizações Contábeis do CRCRS e membro da Comissão Técnica do CFC, e Carlos Souto, sócio-fundador do Instituto Gaúcho de Direito Eleitoral, levantaram questões sobre a "Contabilidade Eleitoral e Prestação de Contas - Atuação do Profissional Contábil". O Sistema de Prestação de Contas Eleitorais já está disponível no site do TRE.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia