Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 04 de dezembro de 2017.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Sistema Financeiro

Notícia da edição impressa de 05/12/2017. Alterada em 04/12 às 21h17min

Banco Central crê em ganho de autonomia com depósito voluntário

O Banco Central (BC) fez ontem, por meio de newsletter, uma defesa do projeto de lei que o autoriza a acolher depósitos voluntários a prazo de instituições financeiras. A proposta foi encaminhada pelo governo ao Congresso na semana passada.
Os bancos poderão fazer depósitos em suas respectivas contas no BC. O prazo mínimo é de um dia, sendo que os montantes serão remunerados. "Hoje, o BC administra a quantidade de dinheiro no sistema bancário por meio da venda com compromisso de recompra dos títulos públicos de sua carteira, as chamadas 'operações compromissadas'", pontuou o chefe do Departamento de Operações de Mercado Aberto do BC, João Henrique Simão. "Com os depósitos voluntários, o BC ganha maior autonomia, uma vez que deixa de depender exclusivamente dessas operações para regular a liquidez bancária e, consequentemente, manter a taxa básica de juros (Selic) próxima da meta fixada pelo Comitê de Política Monetária (Copom)", acrescentou.
O BC reforçou, ainda, que "o novo instrumento será introduzido de maneira gradual e parcimoniosa, com limites a serem estabelecidos pela regulamentação".
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia