Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sábado, 18 de novembro de 2017.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

série b

18/11/2017 - 20h44min. Alterada em 18/11 às 20h50min

Sem risco de queda, Boa joga tranquilo e vence o Brasil por 2 a 1 em Varginha

Em jogo equilibrado, Brasil perde por 2 a 1 para o Boa Esporte antes do último compromisso de 2017

Em jogo equilibrado, Brasil perde por 2 a 1 para o Boa Esporte antes do último compromisso de 2017


Jonathan Silva/Brasil de Pelotas/Divulgação/JC
Sem pressão contra o rebaixamento, o Boa conquistou a sua terceira vitória consecutiva no Campeonato Brasileiro da Série B, neste sábado, ao bater o Brasil, de Pelotas, por 2 a 1, no estádio Dilzon Melo, em Varginha. O resultado deixou o time mineiro com 49 pontos, em nono lugar, uma posição na frente do rival gaúcho, com 48.
Na última rodada, o Boa enfrenta o Paraná, em Curitiba, no próximo sábado, a partir das 17h30. O Brasil vai fazer jogo isolado na sexta-feira, a partir das 20h30, no estádio Bento Freitas, em Pelotas, contra o Criciúma.
Mais tranquilo por não correr risco de rebaixamento e vindo de duas vitórias seguidas, o Boa iniciou o jogo tranquilo. Tanto que criou duas boas chances. Aos 13 minutos, Rodolfo invadiu a área, cortou dois zagueiros e bateu forte, mas o goleiro Marcelo Pitol encaixou bem. Três minutos depois, Reis cobrou falta em direção à pequena área e o zagueiro Igor desviou de cabeça. A bola quicou, tocou na mão do arqueiro e ainda no pé da trave.
O Brasil, que vinha de três vitórias seguidas, foi muito tímido, não chutou nenhuma bola em gol e apenas reclamou de um possível pênalti de Douglas Assis em cima de Marcinho. Um lance duvidoso aos 26 minutos.
O segundo tempo começou movimento. Aos quatro minutos, Misael entrou nas costas da defesa e soltou a bomba, mas por cima do travessão. No minuto seguinte, saiu o primeiro gol. Reis cruzou da direita e do outro lado Paulinho ajeitou e bateu forte. Marcelo Pitol ainda tocou na bola, mas não evitou o gol.
Em seguida, o técnico Clemer fez duas alterações no Brasil. Entraram Cassiano e Calyson nos lugares, respectivamente, de Lincom e Rafinha. Aos 12 minutos, Escobar tocou por trás Cassiano e cometeu pênalti. O próprio Cassiano bateu forte e no alto, empatando aos 13.
Depois disso, o Boa assumiu uma postura ofensiva, inclusive com a saída do volante Escobar para a entrada do meia-atacante Lucas Hulk. O time mineiro criou boas chances, mas Marcelo Pitol apareceu bem. Ele só não evitou o segundo gol aos 36 minutos. Rodolfo invadiu a área em velocidade, passou pelo goleiro e deu o toque para o meio da área para o complemento de chapa de pé de Thaciano.
Boa 2 x 1 Brasil de Pelotas
Fabrício; Igor, Caíque, Douglas Assis e Elivelton Lima; Escobar (Lucas Hulk), Paulinho (Wesley), Alyson, Thaciano (Radamés) e Reis; Rodolfo. Técnico: Sidney Moraes.
Marcelo Pitol; Éder Sciola, Leandro Camilo, Teco e Marlon; Leandro Leite, João Afonso e Rafinha (Calyson); Misael (Juninho), Lincom (Cassiano) e Marcinho. Técnico: Clemer.
Árbitro: Elmo Alves Resende Cunha (GO)
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia