Porto Alegre, sexta-feira, 25 de setembro de 2020.
Dia do Trânsito.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 25 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Imprensa

- Publicada em 13h48min, 26/05/2020.

William Bonner sofre campanha de intimidação com uso de dados pessoais, diz Globo

Suspeito de fraude usou de forma indevida o CPF do filho do apresentador do Jornal Nacional

Suspeito de fraude usou de forma indevida o CPF do filho do apresentador do Jornal Nacional


REDE GLOBO/REPRODUÇÃO/JC
A Globo informou nesta terça-feira (26) por meio de nota que o jornalista William Bonner tem sofrido uma campanha de intimidação após um suspeito de fraude ter usado de forma indevida o CPF do filho do apresentador e editor-chefe do Jornal Nacional.
A Globo informou nesta terça-feira (26) por meio de nota que o jornalista William Bonner tem sofrido uma campanha de intimidação após um suspeito de fraude ter usado de forma indevida o CPF do filho do apresentador e editor-chefe do Jornal Nacional.
A emissora afirma que, após a fraude, o próprio Bonner e sua filha receberam em seus telefones pessoais mensagem de WhatsApp vinda de um número de Brasília com uma lista de endereços relacionados a ele. Na mensagem, estavam listados os números de CPFs dele, de sua mulher, seus filhos, seu pai, sua mãe e seus irmãos. Isso, diz a Globo, "abre a porta para toda sorte de fraudes".
"A Globo o apoiará para que os autores dessa divulgação de seus dados fiscais, protegidos pela Constituição, sejam encontrados e punidos. William Bonner é um dos mais respeitados jornalistas brasileiros e nenhuma campanha de intimidação o impedirá de continuar a fazer o seu trabalho correto e isento", diz a nota.
"Ele conta com o apoio integral da Globo e de seus colegas e está amparado pela Constituição e leis desse país", completa a emissora.
No episódio que envolveu o seu filho, o CPF foi usado para inscrição no programa de auxílio emergencial de R$ 600,00 do governo federal a pessoas vulneráveis que perderam a renda durante a pandemia. Embora a renda familiar do filho de Bonner não permita a concessão do benefício, falhas no sistema de checagem aprovaram o pedido do suspeito de fraude.
Na última quinta-feira (21), o próprio apresentador e editor-chefe do JN já havia divulgado sobre a ação do suspeito de fraude em uma série de tuítes. "Meu filho não pediu auxílio nenhum, não autorizou ninguém a fazer isso por ele. Mais uma fraude, obviamente", afirmou.
Os advogados de Bonner alertaram a Caixa para a fraude e apresentaram notícia crime ao Ministério Público Federal.
Em nota à Folha de S.Paulo, Bonner agradeceu o apoio da Globo e dos colegas. "O episódio de ontem não é coisa de fraudadores comuns. Estes fazem a fraude, não a antecipam como ameaça. Como minha única atuação pública é praticar o jornalismo, o propósito de intimidar é claro", afirma o jornalista.
"Com o apoio da Globo e dos colegas vamos usar os meios legais para responder a essa campanha e punir os culpados. Envolver a minha família mostra a sordidez de quem está por trás de tudo, seja quem for."
Folhapress
Comentários CORRIGIR TEXTO