Porto Alegre, sábado, 29 de maio de 2021.
Dia Mundial da Energia. Dia do Estatístico. Dia do Geógrafo.
Porto Alegre,
sábado, 29 de maio de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

ensino superior

- Publicada em 18h09min, 28/05/2021. Atualizada em 09h14min, 29/05/2021.

Ufrgs aprova pontuação compensatória por maternidade e ação afirmativa em concursos docentes

Regra aprovada contempla maternidade nos últimos seis anos e sujeitos de ação afirmativa

Regra aprovada contempla maternidade nos últimos seis anos e sujeitos de ação afirmativa


JOÃO MATTOS/arquivo/JC
Fernanda Soprana
O Conselho Universitário da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs) aprovou, nesta sexta-feira (28), uma regra para concurso docente que contempla pontuação compensatória pela maternidade nos últimos seis anos e para sujeitos de ação afirmativa. A medida já será aplicada no próximo edital aberto pela instituição, que estão suspensos devido à crise da Covid-19.
O Conselho Universitário da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs) aprovou, nesta sexta-feira (28), uma regra para concurso docente que contempla pontuação compensatória pela maternidade nos últimos seis anos e para sujeitos de ação afirmativa. A medida já será aplicada no próximo edital aberto pela instituição, que estão suspensos devido à crise da Covid-19.
Segundo o conselheiro e relator da proposta, João Netto, a sugestão surgiu do plenário da Ufrgs e um dos pareceres de vista do conselho. Já consignado no primeiro artigo que a universidade adotará critérios compensatórios, os critérios para maternidade (biológica ou adoção) nos últimos seis anos são um acréscimo na pontuação obtida na avaliação de títulos e trabalhos.
"Para os sujeitos de ação afirmativa, temos o acréscimo da pontuação obtida na avaliação de títulos e trabalhos e, no caso de haver limite de candidatos para a segunda etapa do concurso, a garantia de que ao menos 20% são para os candidatos sujeitos de ações afirmativas aprovados na prova escrita", explica Netto.
Dividido em duas etapas, o concurso envolve uma prova escrita e, depois, demais provas de conhecimento, pontuação de títulos e trabalhos e defesa da produção intelectual. Netto afirma que, no caso da limitação de candidatos por vaga na segunda fase, a prova escrita passa a ter caráter classificatório também. Os melhores classificados na primeira etapa passam para a segunda, momento em que entram as ações afirmativas, garantindo 20% desse contingente.

Como funcionam os acréscimos na pontuação

Segundo o conselheiro, um fator de correção (multiplicador) é aplicado à pontuação final dos títulos e trabalhos, divididos em três tabelas:
  • Tabela 1: Grupo de Indicadores de Inserção na Área de Conhecimento do Concurso e de Atividades Administrativas e Atuação Profissional;
  • Tabela 2: Grupo de Indicadores de Produção de Conhecimento;
  • Tabela 3: Grupo de Indicadores de Atividade Acadêmica.
Cada uma das tabelas resulta em uma nota. Para as duas categorias, o fator exato é definido pelo departamento e divulgado no edital do concurso.
"Para a maternidade, o fator multiplicador varia entre 1,05 a 1,25, que representa um acréscimo de 5% a 25% da nota. Para as ações afirmativas, o multiplicador é no mínimo 1,2, ou seja, 20% de acréscimo", explica Netto. 
Comentários CORRIGIR TEXTO
Conteúdo Publicitário