Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 05 de abril de 2018.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Operação Lava Jato

05/04/2018 - 12h49min. Alterada em 05/04 às 12h53min

PT convoca reunião de emergência após resultado no STF

Principais lideranças do PT se reúnem com Lula na sede de instituto em São Paulo

Principais lideranças do PT se reúnem com Lula na sede de instituto em São Paulo


MAURO PIMENTEL/AFP/JC
O Partido dos Trabalhadores (PT) convocou uma reunião de emergência em São Paulo para avaliar os prolongamentos da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que negou o habeas corpus para evitar a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A reunião começou por volta das 12h30min e já conta com a presença da ex-presidente Dilma Rousseff, do ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad e do ex-deputado José Genoino, além de outros aliados.terá os principais dirigentes do partido e será no Instituto Lula.
Bergamo disse que "as lideranças foram alertadas por criminalistas de que a detenção do ex-presidente pode ocorrer até mesmo nas próximas horas e que era necessária uma mobilização imediata". 
No fim da manhã, a defesa de Lula divulgou nota apontando que a decisão do STF "viola a dignidade da pessoa humana e outras garantias fundamentais". O placar do pleno da corte foi de 6 votos contra o habeas e cinco a favor. "A defesa irá tomar todas as medidas legalmente previstas para evitar que a antecipação da pena imposta automaticamente pelo TRF-4 seja executada", diz em nota. Os advogados questionam a decisão do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, que, segundo a defesa, é baseada em “atos indeterminados”.
O senador Lindbergh Farias (PT-RJ) lançou vídeo na rede do twitter e taxou de "escândalo" a posição do STF, de "uma parte dos ministros do supremo, acovardados e de joelhos". Também apontou que manifestações de militares influenciaram decisão e disse que foi um erro não ter feito mobilização no dia do julgamento. O senador se dirigiu a São Paulo nesta quinta. "Vamos para São Bernardo (do Campo). O recado é: para prender Lula tem de prender milhares. Temos de formar um cordão humano em defesa do presidente Lula."  
Com agências
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia