Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 17 de outubro de 2017. Atualizado às 16h41.

Jornal do Comércio

Economia

CORRIGIR

Mercado Financeiro

Alterada em 17/10 às 17h44min

Ouro fecha em queda com valorização do dólar e inflação no Reino Unido

Os contratos futuros de ouro perderam o nível de US$ 1,3 mil por onça-troy nesta terça-feira (17), diante do aumento da cotação do dólar no exterior e a perspectiva de aumento de juros em breve no Reino Unido.
Na Comex, a divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o ouro com entrega em dezembro caiu US$ 16,80 (-1,29%), para US$ 1.286,20 por onça-troy.
Durante todo o pregão, o fator determinante para as operações de ouro foi a valorização do dólar. Quando a cotação da moeda americana sobe, os preços do ouro tendem a cair, porque se torna mais caro para investidores de fora dos Estados Unidos negociarem o metal.
Além disso, houve ainda a pressão da inflação do Reino Unido. Pela manhã, o Escritório Nacional de Estatísticas (ONS, na sigla em inglês) informou que o índice de preços ao consumidor subiu 3% em setembro ante igual mês do ano passado, acima da meta de 2% do Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês).
Diante disso, aumentaram as apostas de que em novembro o BoE poderá subir juros e pressionar que outros bancos centrais, como o Federal Reserve (Fed, o banco central americano), façam o mesmo. 
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia