Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 02 de agosto de 2017. Atualizado às 00h00.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Construção Civil

Notícia da edição impressa de 02/08/2017. Alterada em 01/08 às 22h39min

Construsul quer antecipar tendências para o setor

Evento começa hoje e terá novamente uma central de negócios para aproximar compradores e vendedores

Evento começa hoje e terá novamente uma central de negócios para aproximar compradores e vendedores


/JONATHAN HECKLER/JC
Mesmo em mais um ano de cenário conturbado política e economicamente, a expectativa é de completar negócios na 20ª edição da Construsul (Feira internacional da Construção), que abre hoje nos pavilhões da Fenac, em Novo Hamburgo. O evento reúne 300 empresas expositoras do ramo da construção civil e busca antecipar as tendências para os próximos anos deste segmento, em especial as ligadas à tecnologia, sustentabilidade e acessibilidade.
A favor do segmento está o fato de ter projetos de períodos mais longos, não alicerçados apenas no momento atual. Segundo o diretor da Sul Eventos, promotora da Construsul, Luiz Inácio Sebenello, uma obra média de um edifício chega a levar cinco anos entre a compra do terreno e o início do projeto até a entrega dos imóveis. "Hoje, portanto, estão sendo projetadas obras que, daqui a cinco anos, terão de ter os predicados de modernidade", argumenta o diretor, que cita algumas soluções expostas na feira com este tipo de potencial. "Temos novidades em captação e armazenagem de água, tintas especiais para vidro, caixas retentoras de gordura e detritos, focadas diretamente em sustentabilidade, uma marca da Construsul", comenta Sebenello.
Outros pontos que o diretor projeta que progredirão são a acessibilidade aos prédios para pessoas com algum tipo de limitação física e aparatos tecnológicos, que vêm chegando ao cidadão comum de maneira cada vez mais rápida. Um dos exemplos nessa linha são as células fotovoltaicas, voltadas à microgeração de energia solar. "Hoje, já estão bem mais acessíveis que há dois anos, e, daqui a dois anos, estarão mais acessíveis ainda", analisa o diretor.
Além da exposição de novidades, a Construsul também será sede de diversos eventos paralelos, como seminários, palestras e minicursos. Além das tendências de materiais, as atividades abordarão também temas como contenções urbanas, sistemas de vedação, patologia das edificações, inovação e prevenção de acidentes de trabalho, entre outros. Haverá ainda a reedição da Central de Negócios da Construção, criada na edição de 2016, que consiste em um espaço de reuniões e negociações entre compradores e vendedores.
A expectativa dos organizadores é de um público de 45 mil visitantes qualificados (lojistas, construtores, órgãos de governo e outros profissionais atuantes na construção civil). Por ser uma feira profissional, não é permitida a entrada de menores de 16 anos, mesmo que acompanhados. A feira se estende até sábado, dia 5, das 14h às 21h nos dias de semana e em horário especial no sábado, das 11h às 18h.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia