Porto Alegre, quarta-feira, 16 de setembro de 2020.
Dia Internacional para a Preservação da Camada de Ozônio.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 16 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Japão

- Publicada em 08h20min, 16/09/2020. Atualizada em 20h56min, 16/09/2020.

Yoshihide Suga é eleito primeiro-ministro do Japão

Suga (c) chefiava o cargo de secretário-chefe de gabinete do país

Suga (c) chefiava o cargo de secretário-chefe de gabinete do país


CHARLY TRIBALLEAU/AFP/JC
O presidente do Partido Liberal Democrata (PLD), Yoshihide Suga, foi escolhido pelo Parlamento como o novo primeiro-ministro do Japão nesta quarta-feira (16). Suga recebeu 456 votos das Câmaras Alta e Baixa dos Deputados, contra 212 do líder da oposição, Yukio Edano. Horas antes de Suga ser eleito, Shinzo Abe renunciou formalmente ao cargo de premiê, como forma de permitir a realização da eleição. Abe anunciou há um mês que deixaria o comando do governo por causa de problemas de saúde.
O presidente do Partido Liberal Democrata (PLD), Yoshihide Suga, foi escolhido pelo Parlamento como o novo primeiro-ministro do Japão nesta quarta-feira (16). Suga recebeu 456 votos das Câmaras Alta e Baixa dos Deputados, contra 212 do líder da oposição, Yukio Edano. Horas antes de Suga ser eleito, Shinzo Abe renunciou formalmente ao cargo de premiê, como forma de permitir a realização da eleição. Abe anunciou há um mês que deixaria o comando do governo por causa de problemas de saúde.
O novo líder era visto como braço direito de Abe e ocupava o cargo de secretário-chefe de gabinete do país. A eleição era considerada uma formalidade depois que Suga foi eleito para chefiar o PLD, na segunda-feira, 14. Como a legenda tem maioria no Parlamento, seu líder certamente seria o escolhido, o que acabou se confirmando. Suga também contava com o apoio público de Abe, que declarou que era seu preferido para o posto.
Suga vai enfrentar um raro período de incerteza política enquanto o país busca sair da pandemia do novo coronavírus, lidar com as crescentes tensões entre Estados Unidos e China e se preparar para as Olimpíadas de Tóquio. Ao sinalizar que manterá as políticas básicas de Abe, incluindo uma forte aliança com os EUA e gastos generosos do governo, Suga pretende evitar a instabilidade política que perseguiu o Japão antes de Abe, com uma série de primeiros-ministros forçados a deixar o posto após curtos períodos no poder.
As escolhas de Suga para ministros de gabinete refletem sua ênfase na continuidade com Abe: 11 dos 19 titulares do último gabinete de Abe devem permanecer no novo governo, seja em seus cargos atuais ou em novas funções.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO