Porto Alegre, quarta-feira, 21 de outubro de 2020.
Dia do Contato Publicitário.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 21 de outubro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Com a palavra

- Publicada em 03h00min, 19/10/2020. Atualizada em 13h10min, 21/10/2020.

Andora Construções prioriza a sustentabilidade

Rosa define que a empresa tem uma nova forma de construir

Rosa define que a empresa tem uma nova forma de construir


ISAIAS MATTOS/DIVULGAÇÃO/JC
Cristine Pires
Transformação é a palavra usada por Flávio Dahlem da Rosa para definir a essência da Andora Construções, empresa da qual é um dos sócios. A construtora gaúcha, com sede em Porto Alegre, começou a atuar em 2013 com foco no desenvolvimento de soluções construtivas modernas. "É uma nova forma de construir", resume Rosa, engenheiro Civil formado pela Pucrs e administrador de empresas graduado pela Ufrgs, que traz na bagagem uma vasta experiência na área da construção civil. Foi um dos sócios-fundadores da Construtora Tedesco em 1984, e vendeu sua participação de 40% em 2013 para o grupo alemão Zech Group. Em 2013 e 2014, atuou como diretor da Medabil e, nos últimos 18 meses, atua como sócio diretor da área operacional da Andora. Entre suas prioridades, estão as viagens em família e os almoços de domingo para reunir os quatro filhos. "Todos formados: dois em Direito, um em Administração e um em Engenharia Civil", conta, orgulhoso. 
Transformação é a palavra usada por Flávio Dahlem da Rosa para definir a essência da Andora Construções, empresa da qual é um dos sócios. A construtora gaúcha, com sede em Porto Alegre, começou a atuar em 2013 com foco no desenvolvimento de soluções construtivas modernas. "É uma nova forma de construir", resume Rosa, engenheiro Civil formado pela Pucrs e administrador de empresas graduado pela Ufrgs, que traz na bagagem uma vasta experiência na área da construção civil. Foi um dos sócios-fundadores da Construtora Tedesco em 1984, e vendeu sua participação de 40% em 2013 para o grupo alemão Zech Group. Em 2013 e 2014, atuou como diretor da Medabil e, nos últimos 18 meses, atua como sócio diretor da área operacional da Andora. Entre suas prioridades, estão as viagens em família e os almoços de domingo para reunir os quatro filhos. "Todos formados: dois em Direito, um em Administração e um em Engenharia Civil", conta, orgulhoso. 
Empresas & Negócios - O que significa "uma nova forma de construir"?
Flavio Dahlem da Rosa - Uma maior integração e participação dos agentes envolvidos em cada projeto: cliente, profissionais, fornecedores e construtora, desde a pré-construção, passando pelo orçamento, engenharia de valor, sistemas construtivos, materiais a serem aplicados, sustentabilidade, prazos, perseguindo o budget, buscando a realização da construção com resultados e satisfação do cliente.
E&N - Quando se fala em soluções construtivas modernas,, o que significa na prática?
Rosa - Significa se utilizar de materiais eco eficientes e sistemas que tornam as construções sustentáveis, com menor impacto ambiental e menos utilização de energia e água ao longo da obra e posteriormente na sua utilização. Além disso, a utilização das ferramentas como Lean Construction, Last Planner e Kanban ajudam a pensar (planejar) antes de agir, gerando mais eficiência, menos consumo e menos desperdício.
E&N - O fato de a Andora ser gaúcha permite ter mais conhecimento do mercado local?
Rosa - Ser gaúcha, os sócios gaúchos e com a minha experiência de ter sido fundador e sócio da Construtora Tedesco, atuando nas áreas operacional e comercial por mais de 30 anos e por meus sócios também atuarem por muito tempo no setor, nos credencia junto aos clientes, profissionais e fornecedores.
E&N - Como atender a perfis tão peculiares que variam em cidades e estados ?
Rosa - Temos que pensar localmente e agir globalmente, isso é, nossa metodologia de trabalho (modelos de gestão e de qualidade) é nacional. Mas, para cada obra, é fundamental analisarmos e agirmos localmente, nos beneficiando da mão de obra local, fornecedores e insumos, fazendo com que a nossa logística seja mais eficiente. Além disso, temos que analisar também o clima, a cultura e o calendário local, sem falar na carga tributária e legislação.
E&N - Como a empresa se estrutura para concorrer com outras construtoras em todo País?
Rosa - Através de contínua atualização. Estamos sempre pesquisando e buscando o que tem de mais moderno em termos de gestão, ferramentas, materiais e serviços para o setor. Se queremos competir nacionalmente, temos que estar melhores ou igualmente preparados em relação aos nossos concorrentes.
E&N - De que forma a conectividade é utilizada nas relações com clientes, profissionais, fornecedores em cada projeto?
Rosa - A agilidade nas informações, utilizando recursos modernos e instantâneos, conectando com clientes, profissionais, fornecedores e construtora, minimiza tempo, retrabalho e gera qualidade, pontos cruciais no nosso setor.
E&N - A Andora tem como propósito garantir eficiência e qualidade elevada desde a pré-construção até a entrega do empreendimento. Como controlar todo esse processo?
Rosa - Nos utilizamos muito da tecnologia, hoje existem excelentes softwares que nos permitem monitorar uma boa quantidades de informações relativas as nossas obras nos tablets ou celulares, fazendo com que as informações e os relatórios estejam ao mesmo tempo no escritório central da empresa, como na mão do mestre no canteiro, enquanto o serviço é realizado.
E&N - A Andora executa obras nas mais diversas áreas, seja corporativa, residencial, industrial ou comercial. Essa é uma tendência de mercado?
Rosa - Acreditamos que não, pois cada um desses segmentos exige expertise e conhecimento. Porém, por termos na nossa empresa profissionais especializados, conseguimos performar segmentando cada uma dessas áreas dentro da construtora.
E&N - A sustentabilidade é uma das premissas da construtora gaúcha. De que forma ela está presente na gestão e execução de todos os projetos?
Rosa - Sustentabilidade é uma forma de agir e pensar, ela não custa mais e agrega valor ao projeto e a comunidade. Sustentabilidade é um valor para nós, por isso, quando projetamos e planejamos a obra esses fatores são considerados no programa da construção.
E&N - A Andora está entre as empresas que mais constroem com certificação internacional. Quais são os diferenciais que essas obras apresentam?
Rosa - Recentemente, entregamos a obra da Superintendência do Sicredi em Pelotas, com certificação LEED Silver. Atualmente, temos três obras em processo de Certificação, a ampliação da SLC/John DEERE em Cruz Alta, a Superintendência do Sicredi em Três de Maio e o Hotel Moov em Porto Alegre. O diferencial da graduação da certificação dependerá dos fatores de eficiência dos materiais, equipamentos e sistemas construtivos utilizados em cada obra, como utilização de sistemas de energia fotovoltaica, utilização de vidros insulados, reaproveitamento de água de chuvas, luminárias com menor consumo de energia, sistemas construtivos eficientes, menor geração de resíduos, poluição etc.
E&N - De que forma a pandemia interferiu nos negócios da empresa?
Rosa - Atrapalhou um pouco, mas conseguimos crescer apesar da pandemia. O que mais complicou foi na área de planejamento, logística e abastecimento, esse último item com consequências até hoje. E ainda não temos um cenário muito claro de até quando vai. Sem falar na alta dos preços, que começaram a disparar.
E&N - Qual é a sua expectativa para o mercado da construção civil a partir de agora?
Rosa - Acreditamos que o setor da construção civil será um dos que mais rapidamente irá recuperar as perdas causadas pela pandemia. Mas, ao mesmo tempo, teremos uma forte demanda com a dificuldade e escassez de material e mão de obra.
Comentários CORRIGIR TEXTO