Porto Alegre, quarta-feira, 04 de novembro de 2020.
Dia do Inventor.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 04 de novembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Saúde

- Publicada em 10h40min, 04/11/2020.

Pesquisa da Ufrgs e do Clínicas identifica alterações na Covid-19 que apontam o risco maior na gravidez

Trabalho aponta razões para gestantes necessitarem de cuidados especiais na pandemia

Trabalho aponta razões para gestantes necessitarem de cuidados especiais na pandemia


RODRIGO NUNES/MINISTÉRIO DA SAÚDE/DIVULGAÇÃO/JC
Passados mais de oito meses da chegada da pandemia do novo coronavírus no Brasil, cada vez mais novos trabalhos e pesquisas são publicadas trazendo novidades sobre como a Covid-19 afeta o organismo humano. Uma das mais recentes foi realizada por pesquisadores da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs) e do Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA), que identificaram alterações moleculares associadas ao risco que a doença implica durante a gravidez.
Passados mais de oito meses da chegada da pandemia do novo coronavírus no Brasil, cada vez mais novos trabalhos e pesquisas são publicadas trazendo novidades sobre como a Covid-19 afeta o organismo humano. Uma das mais recentes foi realizada por pesquisadores da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs) e do Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA), que identificaram alterações moleculares associadas ao risco que a doença implica durante a gravidez.
O cenário identificado mostra alterações moleculares, resultantes da infecção por SARS-CoV-2, que estão associadas ao quadro de pré-eclâmpsia, uma doença caracterizada, principalmente, por um quadro de hipertensão arterial durante a gravidez.
O estudo The risk of COVID-19 for pregnant women: Evidences of molecular alterations associated with preeclampsia in SARS-CoV-2 infection (O risco de Covid-19 para mulheres grávidas: evidências de alterações moleculares associadas com pré-eclâmpsia no SARS-CoV-2), coordenado pelos professores Walter Beys da Silva, do Programa de Pós-Graduação em Biologia Celular e Molecular da Ufrgs e Markus Berger, do Centro de Pesquisa Experimental do HCPA e do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, Ginecologia e Obstetrícia da universidade, foi publicado em 1º de novembro na Revista Científica Internacional Biochimica et Biophysica Acta - Molecular Basis of Disease.
Os resultados identificaram que em amostras de pacientes com Covid-19, além de amostras experimentalmente infectadas por SARS-CoV-2, ocorre um impacto dramático na expressão gênica do hospedeiro resultando em um quadro molecular ligado à pré-eclâmpsia e vias metabólicas associadas, tais como a desregulação da hemostasia, isquemia, sinalização inflamatória e resposta vascular.
Uma lista com mais de 30 marcadores moleculares potenciais foi apresentada no estudo e podem, além de contribuir para um maior entendimento da doença, servir de base para a proposição de futuras intervenções terapêuticas específicas para gestantes. Além disso, o trabalho ratifica a importância da prevenção da infecção pelo novo coronavírus em mulheres grávidas, que constituem um grupo de alto risco e vulnerabilidade durante a pandemia.
Comentários CORRIGIR TEXTO