Porto Alegre, quinta-feira, 26 de novembro de 2020.
Feriado nos EUA - Dia de Ação de Graças.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 26 de novembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Educação

- Publicada em 15h45min, 26/11/2020.

Em parceria com a Unesco, prefeitura de Porto Alegre aplicará R$ 32 milhões na educação

Recursos serão usados para a recuperação da infraestrutura de oito escolas

Recursos serão usados para a recuperação da infraestrutura de oito escolas


Divulgação/PMPA/JC
Juliano Tatsch
A prefeitura de Porto Alegre anunciou na manhã desta quinta-feira (25) o investimento de R$ 32 milhões na área da educação, por meio de um acordo de cooperação internacional com a Unesco, agência da Organização das nações Unidas para a Educação e Cultura.
A prefeitura de Porto Alegre anunciou na manhã desta quinta-feira (25) o investimento de R$ 32 milhões na área da educação, por meio de um acordo de cooperação internacional com a Unesco, agência da Organização das nações Unidas para a Educação e Cultura.
Os recursos deverão ser aplicados em ações pedagógicas e na recuperação da infraestrutura de oito escolas que estão inacabadas na cidade. “O objetivo central do projeto é a consolidação das práticas pedagógicas e curriculares, a adoção de conteúdos e tecnologias educacionais inovadoras. Dentre os vários eixos, vamos trabalhar com a elaboração de currículos e práticas pedagógicas no contexto da nova base nacional curricular. Vamos trabalhar desenvolvendo conteúdos e metodologias para a formação continuada dos profissionais da educação e também para ampliar as tecnologias da informação educacionais”, afirmou a diretora da Unesco no Brasil, Marlova Noleto.
A parceria prevê a criação de 1.280 vagas para crianças entre 0 e 5 anos na Capital. Além disso, os recursos também serão destinados para a elaboração e aprovação dos projetos de prevenção e combate a incêndios na rede municipal. “Sempre buscamos ter uma visão ampla do que há de melhor, de mais moderno, da melhor forma de utilização de recursos e de potenciais da cidade”, comentou o prefeito Nelson Marchezan Junior. “Não ter PPCI nas nossas escolas é um sentimento muito ruim de desatenção com as pessoas mais vulneráveis, seja economicamente, seja pela idade. Para nós, é uma realização e uma satisfação para o governo muito simbólica”.
A conclusão das obras dessas oito escolas e ampliação das vagas serão realizadas por intermédio do Escritório das Nações Unidas de Serviços para Projetos (Unops), outro parceiro da iniciativa. “É um momento de grande celebração. Já temos parcerias com a cidade, e o Unops atuará em conjunto com a Unesco para ajudar na infraestrutura e para que as práticas sejam desenvolvidas em um ambiente escolar adequado”, disse a representante do Unops no Brasil, Claudia Valenzuela.
O secretário municipal da Educação, Adriano Naves de Brito, comemorou a parceria, já que a iniciativa visa a melhorar o futuro da educação na Capital. “O projeto é uma política de Estado, estruturante, com reflexos nas próximas décadas. É um projeto de futuro para a cidade, já que a melhoria da Educação se estende ao longo do tempo e precisa ser assumida por toda a sociedade”.
Comentários CORRIGIR TEXTO