'Se o líder não muda, a empresa não muda', defende José Galló

José Galló abre a 2ª temporada do Mentes Transformadoras


Continuar
Autoria:
Patricia Knebel
Colaboração:
Patrícia Comunello
Galló é presidente do Conselho de Administração da Lojas Renner

Galló é presidente do Conselho de Administração da Lojas Renner

Rafael Sambrano - Arte/JC

Considerado durante muitos anos um setor de segunda categoria na economia, o varejo hoje é um dos líderes da transformação digital no mundo. Um dos principais líderes deste movimento no Brasil, o presidente do Conselho de Administração da Lojas Renner e autor do livro “O Poder do Encantamento”, José Galló, é um observador e um agente atento de todas essas mudanças.
Ele é o convidado de estreia da 2ª temporada do Mentes Transformadoras. A série de vídeos e podcast entrevista personalidades sobre o cenário atual do mercado, os novos modelos de negócios que estão surgindo e os desafios deste mundo cada vez mais conectado. 
> Ouça o podcast com José Galló
Para Galló, os clientes continuam querendo ser encantados, só que com mais agilidade e conveniência, no ritmo das novas tecnologias. “As empresas vencedoras são as que têm a capacidade de criar um pacote de valor diferenciado, que encantam os clientes independentemente do ambiente econômico e do cenário político”, defende. Palavras de quem sabe o caminho.
Foi sob a gestão de Galló, de 1991 a 2019, que a Lojas Renner passou de uma rede de varejo de moda com oito lojas para uma corporação com mais de 550 operações no Brasil e no Uruguai. 
> VÍDEO: Confira as ideias do empresário
Jornal do Comércio – Como tem sido tem sido viver essas mudanças tão contundentes?
José Galló – O mundo está mudando. Estamos saindo de um mundo linear, onde as coisas eram mais previsíveis e o crescimento mais organizado e estruturado, para um cenário de crescimento exponencial. Isto tudo é proporcionado pelas novas tecnologias e ferramentas digitais. Quem não se der conta disso, dessas novas oportunidades e formas de fazer as coisas, vai ficar pelo caminho. Esse é o grande desafio das empresas: saber como entrar nesse mundo, pois, no fundo, o digital não é o objetivo, e sim o meio de as empresas fazerem as coisas de uma forma diferente.
JC – Como é a caminhada de mudar negócios que deram certo até hoje, mas que não responderão às demandas do futuro?
Galló – Há empresas que acham que podem continuar como estão, e essas certamente não vão avançar. O líder tem de mudar o mindset. Se o ele não muda, a empresa não muda. É preciso se dar conta disso, passar esse sentimento para os seus liderados e, com isso, fazer uma transformação em conjunto. Mudar também passa por buscar as competências necessárias em pessoas de fora da corporação e criar uma cultura construtiva, que receba esses talentos e consiga integrá-los.
JC – O Rio Grande do Sul está mudando?
Galló – Temos empresários aqui com essa visão de transformação e começamos a ver o Estado preocupado com esse tema. Temos polos de tecnologia, mão de obra qualificada e uma série de novos projetos, como o Instituto Caldeira, do qual participo. Com essa iniciativa, não queremos apenas sugerir, mas executar. Esse é o espírito. Não temos mais tempo só para ter ideias. Porém, há um agravante que exige que façamos um esforço extra. Como perdemos posições nos últimos anos, existe um certo baixo astral. Acredito que temos a possibilidade de voltar a dar dinamismo e vigor ao Rio Grande do Sul por meio da inovação.
JC – Qual o melhor modelo para que a inovação envolva toda a empresa?
Galló – Não gosto muito dessa história de você ter um diretor de inovação. A empresa toda tem que ser inovadora, e quem tem de liderar isso é o presidente. A inovação não pode ser feita em partes, por uma pessoa específica.
JC – Como criar melhores experiências no varejo?
Galló – Uma tendência interessante quando olhamos para a China é que os gestores desses grandes ecossistemas estão buscando crescer por meio da criação de lojas físicas, que é o oposto de dez anos atrás, quando se dizia que os pontos físicos seriam substituídos pelo on-line. Cada vez mais, vemos o on-line e as lojas físicas atuando juntas para criar uma melhor experiência de venda ao cliente, que é difícil de ser criada em frente a um smartphone.
JC – O que separa os líderes dos retardatários quando pensamos em inovação?
Galló – Os líderes se atualizam constantemente e criam propostas diferenciadas. Certamente as empresas vencedoras são as que têm a capacidade de criar um pacote de valor diferenciado. Que encantam os clientes e que fazem isso independentemente até de ambiente econômico. Também é muito importante estar muito próximo do cliente, pois é complicado encantá-lo se você não o conhece. Essa atitude deve, inclusive, partir do presidente da empresa. Sempre que visito uma loja, falo com vendedor, com o gerente e só depois falo com o diretor.
JC – O que o senhor diria para os novos empreendedores, que estão tentando construir negócios escaláveis?
Galló – Eu diria que uma boa ideia não leva a lugar nenhum. É preciso executá-la, fazer acontecer. Não é fácil chegar a uma inovação. Quando vemos as histórias de pessoas que bem- sucedidas, percebemos que tiveram fracassos, perderam dinheiro, erraram, mas fizeram disso um aprendizado. Faliu? Não tem problema, tente de novo.
Gostou deste conteúdo? Confira abaixo as próximas entrevistas da temporada. Saiba mais sobre o projeto Mentes Transformadoras e confira os outros episódios clicando aqui. Acesse a primeira temporada clicando aqui.
{'nm_midia_inter_thumb1':'', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5dea454b5ef18', 'cd_midia':8923382, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/png/2019/12/06/mega_banner_jc_01-8923382.png', 'ds_midia': 'Badesul Mentes Transformadoras Banner 468x60 Fullbanner', 'ds_midia_credi': 'Divulgação/JC', 'ds_midia_titlo': 'Badesul Mentes Transformadoras Banner 468x60 Fullbanner', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '468', 'cd_midia_h': '60', 'align': 'Left'}

Quem são as Mentes Transformadoras:

  José Galló, Presidente do Conselho de Administração da Lojas Renner
  Andreas Blazoudakis, Fundador e CEO do Delivery Center
  Caroline Cintra e Marta Saft, Diretoras-presidentes da ThoughtWorks no Brasil
  Cassio Bobsin, Fundador e CEO da Zenvia
  Gilson Trennepohl, Diretor-presidente da Stara
  Clovis Tramontina, Presidente do Conselho de Administração da Tramontina
  Marciano Testa, Fundador e CEO do Agibank
  Soraia Schutel, cofundadora da Sonata Leadership Academy
  Gustavo Goldschmidt, Fundador e CEO do Superplayer
  Cesar Paz, Empreendedor serial e co-fundador do Poa Inquieta
  Julio Ricardo Mottin Neto, Presidente do Grupo Dimed/Panvel
  Cleber Prodanov, Reitor da Feevale

compartilhe:


Reportagem publicada em 09/12/2019 pelo

© 2019 Cia Jornalística J.C. Jarros. Desenvolvido em parceria com i94.Co.