Porto Alegre, segunda-feira, 22 de outubro de 2018.
Dia do Enólogo.

Jornal do Comércio

COMENTAR | CORRIGIR

Sial 2018

21/10/2018 - 18h00min. Alterada em 22/10 às 11h14min

Inovação em alimentos comanda Sial

Radis et Capucine vende kits para que pessoas preparem a própria comida em casa, diz Angeline Rousseau

Radis et Capucine vende kits para que pessoas preparem a própria comida em casa, diz Angeline Rousseau


PATRÍCIA COMUNELLO/ESPECIAL/JC/
Patrícia Comunello, de Paris
A Sial Paris, que começou neste domingo (21) e vai até quinta-feira (25), tem como marca ditar tendências e ainda apresentar novos alimentos, processos e ingredientes que almejam chegar à mesa dos consumidores. A comitiva brasileira, que tem o maior peso de integrantes do Rio Grande do Sul - 15 das 45 empresas, conheceu tendências na linha do “faça você mesmo" (Do it your self), e conferiu a área do 'Oscar' da inovação - de onde sairão os premiados no segundo dia, por um júri de alta exigência - e o uso de insetos para substituir a proteína da carne ou ser ingrediente para reforço da alimentação em aperitivos ou barras de cereais.
A feira tem mais de 7 mil expositores de 107 países que tentam atrair atenção de visitantes de quase 200 países. Na estreia, público e promotores de marcas globais e locais geraram um fluxo ininterrupto. A agenda da comitiva do Brasil, com apoio da Confederação Nacional da Indústria (CNI) e ApexBrasil, com organização da Federação das indústrias do RS (Fiergs) e ainda Sebrae-RS com seu grupo de micro e pequenas empresas (MPEs), é repleta de visitas técnicas que permitem conhecer mais a fundo os perfis, mercados e até oportunidades com segmentos que despontam na Sial.
A Radis et Capucine foi uma das precursoras na França da ideia de que as pessoas podem fazer em casa sua comida, incluindo os ingredientes. Depois de linhas de cogumelos, a marca já lançou mostarda, queijo mozarela, manteiga, linguiça e as mais recentes cervejas e outras opções de bebidas alcoólicas. “A ideia é vender todos os ingredientes ou quase todos para que as pessoas façam em casa. No kit da cerveja, temos o processo mais básico ao avançado”, descreve Angeline Rousseau, representante de vendas da marca na Sial.
O queijo mozzarela, que tem grande saída, custa 14 euros (cerca de R$ 63,00) e rende 400 gramas. O consumidor entra com o leite. O kit de cerveja fez sucesso no último Natal para dar como presente. A Radis et Capucine só atua com e-commerce e entra em mercados da Alemanha, Suíça, Bélgica, Itália e Canadá, além da França e fatura 5 milhões de euros por ano e tem 30 funcionários. A receita crer 8% ao ano.
Roger Scherer Klafke, coordenador da área de alimentos e bebidas do Sebrae-RS, citou que a marca francesa mostra que é possível ter muitas soluções. “É um modelo simples e a ideia fácil de aplicar. Já se vê alguns exemplos no Brasil, mas uma empresa que aposte em vários kits e até com opções de presentes, é novidade”, aponta Klafke. “Acho que é uma alternativa para estudar e levar ao Brasil”, provoca o coordenador do Sebrae-RS.
Na pegada de inovação, a visita à redoma do Sial Innovation, com seu Grand Prix, que é o point onde ficam expostos os produtos com mais avanços, mostrou que fabricantes buscam alta qualidade, irreverência e preocupação com produtores e o consumidor. Um dos itens expostos é de uma garrafa de água mineral com tampa que não segue as roscas normais. Também há um azeite com 42 variedades de olivas, com origem na ilha de Creta, na Grécia. E o preço, questionaram os brasileiros. “Não tenho ideia, mas é um produto muito diferenciado”, disse Thibault Mervaillie, gerente de projetos da área do Grand Prix.
Para figurar na seleção, os fabricantes precisam ter criado o produto há dois anos e têm de mostrar benefícios ao consumidor final seja pelo ingrediente, preparo e ganhos ambientais e até sociais. “Eles são apresentados ao juri e um deles ganhará o troféu Esperança”, diz o gerente do projeto. Dois produtos do Brasil estão na área, um da Frutã e outro da Seara.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia