Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 19 de julho de 2018.
Nelson Mandela Day.

Jornal do Comércio


Alterada em 19/07 às 08h46min
COMENTAR | CORRIGIR

A flor que alimenta os chineses

Flor de Lótus é presença constante na mesa dos chinês como alimento

Flor de Lótus é presença constante na mesa dos chinês como alimento


THIAGO COPETTI/ESPECIAL/JC
Bastante simbólica para os budistas (remete à pureza espiritual, por exemplo), a Flor de Lótus também é presença constante na mesa dos chineses como alimento. Ou melhor, sua raiz e suas sementes. Essas duas partes da planta aquática são utilizadas cruas ou cozidas, em saladas, sopas e uma infinidade de pratos quentes. E também são fonte de renda para algumas comunidades campesinas.
Uma das razões de sua imagem de pureza é porque emerge, muitas vezes, de águas sujas e lamacentas. Usada como alimento, é rica em proteína, zinco, potássio, fósforo, cobre ferro e vitaminas B6 e C, entre outras qualidades.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia

Thiago Copetti

A convite do Centro Internacional de Imprensa da China, o repórter está participando de um intercâmbio no gigante asiático. No blog Conexão China, apresentará, além de informações econômicas e políticas da segunda maior economia do mundo, também curiosidades culturais e gastronômicas, dicas de turismo e como é o cotidiano da vida em Pequim.