Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017. Atualizado às 23h46.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Vinicius Ferlauto

Giro Rápido

Notícia da edição impressa de 24/02/2017. Alterada em 23/02 às 21h49min

Pior desempenho da história

O financiamento de veículos novos registrou, em 2016, o seu mais fraco desempenho. O total de recursos liberados foi de R$ 80,2 bilhões, o que representa uma queda de 9,9% em 12 meses. De acordo com levantamento da Associação Nacional das Empresas Financeiras de Montadoras (Anef), até então o menor volume era de R$ 88,9 bilhões, verificado em 2015.
A entidade acredita que em 2017 será um pouco melhor: o montante deverá ficar em R$ 86,7 bilhões, o que representa uma alta de 5,5%. O financiamento manteve a preferência do consumidor na hora de fechar a compra de um zero-quilômetro. No ano passado, 49% dos negócios envolveram operações de CDC. As compras à vista alcançaram o melhor resultado desde 2008, correspondendo a 44% das vendas efetuadas em 2016. O consórcio respondeu por 5% dos contratos, e o leasing, por 2%.
Produção extra
A fábrica da BMW em Araquari (SC) comunicou que fará a produção adicional de aproximadamente duas mil unidades do modelo X1 para países do Nafta (Acordo de Livre Comércio da América do Norte). Trata-se de um contrato temporário para suprir a oferta global do veículo, que também é fabricado na Alemanha. O volume é um pedido adicional às 10 mil unidades acordadas em abril de 2016. Atualmente, além do X1, o complexo fabril de Araquari monta a Série 3, o X3 e o X4 para o mercado brasileiro. A flexibilidade da planta permite responder rapidamente a esse tipo de demanda.
Detector de buracos
A Ford Europa está projetando um sistema avançado de mapeamento que alerta o motorista quanto à presença de buracos nas ruas e estradas. A tecnologia em desenvolvimento permitirá a detecção em tempo real e o envio de um aviso ao painel de instrumentos do veículo. A Ford já faz testes do recurso na Bélgica, onde há uma pista de 1,9 quilômetro com réplicas dos piores buracos do mundo. Também faz parte da pesquisa a avaliação do uso de sistemas de suspensão ativa para reduzir ao máximo a severidade dos solavancos e os danos causados por essas imperfeições no carro.
Centro de distribuição
Após a conclusão do acelerado processo de integração no Brasil da TRW no mercado de reposição, o Grupo ZF passa a contar com um novo centro de distribuição, que reúne em um único local todos os produtos, peças e serviços oferecidos pela companhia. Além de ser pioneira no início dessa integração, a América do Sul foi também a primeira região no mundo a inaugurar uma instalação do tipo. Localizado em Itu, interior do estado São Paulo, o centro de distribuição se espalha por 21 mil m2.
Exportações recorde
A Volare, unidade de negócios da Marcopolo, fabricante de veículos leves para o transporte de passageiros, registrou em 2016 desempenho recorde nas exportações. O resultado contribuiu para ampliar a presença da marca em países da América Latina, África, Oriente Médio e Ásia. Com o volume de 445 unidades enviadas para 21 países (maior já obtido), a empresa conseguiu crescimento de cerca de 80% em relação a 2015, quando exportou 254 veículos para 14 mercados. Os novos mercados foram Camarões, Colômbia, Costa do Marfim, Emirados Árabes, Guatemala, Hong-Kong, México e Mianmar.
Laboratório de aerodinâmica
A Ford prepara um novo centro global de testes aerodinâmicos de última geração, com tecnologia para receber tanto carros e utilitários de produção em série quanto modelos de competição. O novo complexo funcionará em Dearborn, no estado norte-americano de Michigan, sede mundial da empresa, abarcando túnel de vento e câmaras climáticas superavançados. O objetivo do projeto, que exigirá investimento de US$ 200 milhões, é promover aprimoramentos de design com foco em desempenho e economia de combustível.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia