As revoluções, a rainha e o futuro que nos espera


Leany Lemos
Leany Lemos

diretora de Operações do BRDE


Seguramente, a mais profunda das transformações está em pleno curso, e ainda em tempo de fazer parte da jornada da rainha


Muitos já se depararam, nas redes sociais ou grupos de WhatsApp, com um meme que dizia algo como "chegou o momento de refletir: que mundo pretendemos deixar para a rainha Elizabeth?", numa das tantas tiradas sobre sua longevidade e tempo de trono. Mas, para além de guerras mundiais, crises econômicas, escândalos palacianos, chegada à lua, pandemias, 13 primeiros-ministros e uma primeira-ministra, é preciso reconhecer que o tempo da monarca mais antiga do mundo perpassa, fundamentalmente, grandes mudanças culturais, comportamentais e sociais.
Seguramente, a mais profunda das transformações está em pleno curso, e ainda em tempo de fazer parte da jornada da rainha. Mesmo que ainda sofra percalços e nem sempre seja barulhenta, essa transformação é capaz de construir uma sociedade muito diferente da atual, e para melhor. Essa revolução pró-diversidade e pró-sustentabilidade social e ambiental já está ocorrendo em diversas frentes. Mas talvez onde ela pode ocorrer de forma mais promissora é no chamado "chão de fábrica".
Assistimos hoje a um forte movimento de empresas e instituições que inovam em processos, modelos de negócio, relações de consumo e no conhecimento, tendo em mente critérios ambientais, sociais e de governança. Aliar a eficiência e a lucratividade dos negócios à missão de transformação coletiva é algo cada vez mais difundido e cobrado, a partir da sociedade. Tenho orgulho de integrar uma instituição que vem dando sua contribuição em favor do desenvolvimento econômico e social na Região Sul do País com a máxima aderência a essa realidade global, aos critérios ESG e, portanto, da Agenda 2030.
Em 2021, de cada quatro contratos de crédito firmados, ao menos três operações tiveram vinculação direta com ao menos um dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), algo que se reforça com a parceria com instituições financeiras internacionais. Somos, de verdade, um banco comprometido com a sustentabilidade, um agente de transformação local e, dessa maneira, impactamos o mundo. Toda transformação local é global. E, nessa esteira, muitos dos parceiros do agro à indústria da inovação, do comércio às cooperativas, do setor público às energias renováveis comungam dos mesmos compromissos.
Somos o primeiro banco de fomento do País a receber o selo Women On Board, por estimular o aumento da participação das mulheres em cargos de liderança e conselhos. Apoiamos efetivamente o empreendedorismo das mulheres com um programa específico e, por meio de uma estratégia interna pró-diversidade, queremos abranger funcionários, fornecedores e clientes em ações que aumentem a igualdade de gênero e de raça. Sabemos que muitas empresas e instituições estão, como nós, à frente, construindo esse futuro, com honestidade e transparência. Outras ainda nos primeiros passos, mas todos em um caminho sem volta. Quem ainda não embarcou, ficará pela estrada. Poucas coisas podem ser mais conservadoras do que a monarquia, numa sociedade moderna. Mas até a monarquia pode ajudar a alavancar essas transformações para a construção de um mundo com mais desenvolvimento, mais justiça, mais oportunidades. Por isso, vida longa à rainha! Que ela também participe do legado de futuro que estamos a construir, com muitas mãos e mentes.
Publicado em 28/04/2022.