Do bit ao átomo, usando atecnologia para mudar o mundo


Ruddy Wang, Gerente Geral da Uber na Região Sul Ruddy Wang, Gerente Geral da Uber na Região Sul

press@uber.com


Qual foi a última vez que você baixou um aplicativo que realmente mudou a sua vida, operando apenas em seu celular?


É cada vez mais comum ouvir que tal empresa ou tecnologia vai "mudar o mundo". Geralmente, a afirmação vem acompanhada de alguma frase de impacto e uma hashtag, perfeita para ser compartilhada nas redes sociais milhares e milhares de vezes.
A história é sempre a mesma. O lançamento do produto tem um vídeo de animação com trilha sonora emocionante e um problema que vai ser resolvido. Mas qual foi a última vez que você baixou um aplicativo que realmente mudou a sua vida, operando apenas em seu celular?
Nada de errado com os negócios exclusivamente digitais, eles realmente podem causar muito impacto em nossas vidas. Porém, uma busca na rede ou um like em uma rede social são coisas que existem apenas na tela do laptop ou do celular, e as empresas que trabalham com isso operam "na nuvem", no mundo dos bits.
E nesse momento de relações cada vez mais baseadas em experiências digitais, de curtidas e compartilhamentos, algumas soluções estão se destacando justamente por possibilitar conexões reais antes inimagináveis. As empresas de tecnologia para a mobilidade urbana, como a Uber, também criam programas e recursos digitais sofisticados, mas trazem como diferença uma profunda ligação com o mundo real -- do átomo.
Se você me disser que vai mudar o mundo, e então me mostrar um sistema de arquivos mais eficiente, posso até entender o que você quer dizer, se eu me esforçar bastante.
Mas fica muito mais fácil entender o impacto se você me mostrar algo que permite às pessoas irem de um lugar para outro de forma mais prática e acessível; que deixa as cidades menos dependentes de estacionamentos; que evita mortes no trânsito, ao oferecer uma alternativa à mistura de bebida e direção; que devolve o tempo para quem ficava preso ao volante nos congestionamentos. E tudo isso criando milhares de oportunidades de gerar renda de forma flexível, sem complicação.
Essa relação do mundo digital com o físico não é exclusividade de empresas como a Uber. Existem aplicativos que permitem passar as férias na casa de alguém que você não conhece, outros ainda que facilitam o encontro do seu par romântico e até mesmo alguns que ajudam a encontrar uma pessoa para passear com seu cachorro.
Quando a Uber começou, todos ficavam maravilhados ao perceber que era possível conseguir um carro com um toque mágico de um botão. Hoje, percebemos que a grande inovação da empresa foi trazer a escala do mundo digital para o mundo físico, conectando um motorista parceiro com um ou mais usuários, em poucos minutos.
Do bit para o átomo, hoje já são mais de 15 milhões de viagens realizadas, todos os dias, em mais de 600 cidades do planeta. São 15 milhões de conexões que estão mudando o mundo, um dia de cada vez. E isso é só o começo. Trabalhamos para colocar as pessoas em movimento por meio de uma plataforma com cada vez mais opções de mobilidade: carro, bicicleta, patinete, transporte público e até veículos aéreos.
Publicado em 29/03/2019.