Porto Alegre, sexta-feira, 31 de agosto de 2018.
Dia do Nutricionista.

Jornal do Comércio

COMENTAR | CORRIGIR

Pecuária

31/08/2018 - 18h04min. Alterada em 31/08 às 18h25min

Novo índice para carcaças de Angus e Brangus valoriza animais, diz Embrapa

Indexador anunciado na Expointer substitui o antigo IC e passa a agregar valor às carcaças

Indexador anunciado na Expointer substitui o antigo IC e passa a agregar valor às carcaças


CLAITON DORNELLES /JC
Luis Filipe Gunther
Pensado para o produtor de bovinos, o novo Índice Bioeconômico de Carcaça (IBC) promete agregar valor monetário às gerações seguintes de bois da raça Angus e Brangus. Apresentado pela Embrapa, na Expointer, que termina neste domingo (2), o indicador substituirá o antigo Índice de Carcaça (IC). De acordo com o pesquisador e desenvolvedor da metodologia, Fernando Flores Cardoso, o IBC facilita a adequação de animais para participar de competições que qualificam a espécie.
Para Cardoso, o IC, que antecedeu o IBC, era um índice subjetivo que ordenava os animais, mas não norteava o produtor sobre valorização e desvalorização dos exemplares. Para isso, a pesquisa utiliza a evolução parental como parâmetro de medida. Ao todo, foram avaliados 280 mil animais. A expetativa com esse novo indexador da Embrapa é que os produtores obtenham lucros próximos de 20% a 30% com a aplicação ao rebanho de seleção.
O método exige a utilização de ultrassonografia para fazer nivelamentos de qualidade. Com a utilização desse exame, é possível avaliar o tamanho da área de lombo, espessura de gordura e também o marmoreio, que é a gordura entranhada na carne, deixando-a mais macia. Com um bom índice, o produtor consegue competir em programas de carne de qualidade, agregando ainda mais valor ao animal e suas reproduções.
O pesquisador defende que as melhorias na metodologia devem gerar efeitos positivos no mercado interno e externo. “A própria implementação dos programas de certificação, antes escassos, já visam à retomada da credibilidade da nossa produção”, conclui Cardoso, lembrando do caso da Operação Carne Fraca, que expôs fragilidades no sistema de inspeção de carnes destinadas à exportação. O Brasil é um dos líderes no comércio mundial de carne bovina.
O indexador será publicado no sumário das raças Angus e Brangus por meio de uma tabela. Na primeira edição, a revista traz 148 matrizes classificados por índice e percentagem de originalidade. Quanto menor o percentual, melhor será o filho do reprodutor avaliado. Já o índice, mostra o valor monetário agregado às gerações da matriz. Nessa lista, o Mc High Quality é o reprodutor que obteve os melhores resultados.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia