Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 01 de agosto de 2018.

Jornal do Comércio


Alterada em 01/08 às 20h54min
COMENTAR | CORRIGIR

Um dia de compras no maior mercado de pulgas de Pequim

Maior mercado de pulgas de Pequim, o Panjiayuan Flea Market reúne mais de 2 mil expositores nos finais de semana

Maior mercado de pulgas de Pequim, o Panjiayuan Flea Market reúne mais de 2 mil expositores nos finais de semana


Thiago Copetti, Especial, JC
Pequim
O Panjiayuan Flea Market, com mais de 2 mil expositores nos finais de semana, comercializando uma infinidade de coisas em quase 50 mil metros quadrados de área, é apontado como o maior “mercado de pulgas” de Pequim. É lá que turistas e moradores podem encontrar de tudo em termos de decoração, arte, artesanato, antiguidades, imitações, livros, selos, propagandas antigas, pintura, pedraria e muitos outros itens.
Localizado no terceiro anel viário de Pequim (a cidade é dividida em anéis, cujo primeiro é o mais central), o Panjiayuan Flea Market também é um passeio pela vida cotidiana e pela história chinesa. Apesar das lojas físicas ficarem abertas durante todo a semana, é no sábado e no domingo que o espaço fica repleto de barracas externas e ambulantes, inclusive de algumas minorias étnicas e seus artesanatos, como Hui, Mongol e Manchu.
Comprar uma antiguidade real neste mercado exige, porém, conhecimento. Há muita imitação entre peças valiosas e obras de arte, então é preciso ser especialista no assunto para não cair no conto do vigário. Muitos vendedores vão inventar histórias da origem da peça para convencê-lo. Ou seja, a dica é redobrar a atenção e análise da peça em compras de maior valor. E segue valendo a regra do barganhar sempre, e muito (é possível baixar em bem mais de 50% a primeira oferta, em alguns casos).
Outra sugestão é ir cedo para percorrer todos os pavilhões, já que o local fecha as portas próximo das 18h, mas muitos vendedores começam a recolher suas peças bem antes deste horário.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia

Thiago Copetti

A convite do Centro Internacional de Imprensa da China, o repórter está participando de um intercâmbio no gigante asiático. No blog Conexão China, apresentará, além de informações econômicas e políticas da segunda maior economia do mundo, também curiosidades culturais e gastronômicas, dicas de turismo e como é o cotidiano da vida em Pequim.