Formação de lideranças com foco na criatividade e na ética


Alziro Cesar de M. Rodrigues,
diretor da Face da PUCRS, Alziro Cesar de M. Rodrigues, diretor da Face da PUCRS,

[email protected]


A essência da liderança criativa está na empatia e na atenção ao outro


Com certa frequência, deparamo-nos com a frase "o mundo está carente de líderes", especialmente quando encaramos o mundo empresarial. Mas de que tipo de líderes as empresas precisam? Em sentido amplo, de profissionais com humanidade, justiça e respeito pelas pessoas. Contudo, liderar é mais que isso, pois envolve compromisso, dedicação e, acima de tudo, elevada postura ética e moral.
Nos tempos atuais, cada vez mais difíceis, criatividade também é uma das características demandadas entre os líderes empresariais, que precisam buscar soluções inovadoras para novos e velhos problemas das organizações. Exercer liderança criativa é desafiar o status quo e os atavismos de gestão, buscando soluções baseadas na simplicidade, já que a criatividade não necessariamente está associada à sofisticação do processo decisório.
A essência da liderança criativa está na empatia e na atenção ao outro, iniciando pelas pessoas da equipe até os consumidores do seu produto. Entretanto, a dinâmica do processo criativo produz melhores resultados quando se tem um líder que agrega, inspira e motiva. O líder deve estar disposto a assumir os riscos inerentes à criatividade, buscando melhores soluções, ver além do que a maioria vê e gerar melhores resultados. O líder criativo distingue-se das outras pessoas não só por seu papel de dirigir, inspirar e motivar as pessoas, mas especialmente por propiciar um ambiente inovador e estimular a criatividade. O líder criativo deve ver além dos limites de sua organização e do tempo presente, adotando uma visão embasada em princípios e valores essenciais, sobre os quais ele deve inspirar-se para tornar-se um exemplo para os demais. Com elevados valores éticos e morais, o líder criativo deve promover o comprometimento, o espírito de equipe e a liberdade para criar e experimentar. Um líder que se ocupa em identificar e desenvolver talentos, selecionando pessoas e aprimorando suas habilidades e seus conhecimentos.
Mas o líder criativo nunca estará pronto e deve procurar, incansavelmente, aprender com os sucessos e com os fracassos. Especialmente com estes últimos, pois os erros podem encerrar boas oportunidades de aprendizado e de melhoria, aí está uma característica que diferencia os grandes líderes: aprender sempre. Ser líder não é algo que nasce com a pessoa, mas que pode ser ensinado, aprendido e praticado. Nesse aprendizado orientado à formação de novas gerações de líderes, três aspectos são essenciais: (a) a liderança pelo exemplo, em todos os níveis decisórios de uma organização; (b) o estímulo à capacidade de sonhar e de fazer sonhar; e (c) um foco maior em resultados, não apenas em atividades.
Inúmeras business schools ao redor do mundo investem fortemente na formação de líderes, como a Escola de Negócios da PUCRS, que tem a missão de preparar as mentes do futuro, forjando líderes diferenciados para os desafios do ambiente das organizações, com competências e habilidades para transformar ideias em projetos e ações que contribuam para melhorar o contexto das organizações e a sociedade em geral. Líderes competentes, éticos e responsáveis, críticos e criativos, com uma visão globalizada de negócios e com a capacidade de exercer liderança empreendedora e socialmente solidária: certamente, esse é o perfil de líderes que farão a diferença nas organizações.
Publicado em 27/03/2017.