Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 26 de setembro de 2016. Atualizado às 20h18.

Jornal do Comércio

Jornal da Lei

COMENTAR | CORRIGIR

Cidadania

Notícia da edição impressa de 27/09/2016. Alterada em 26/09 às 18h08min

Expectativa de vida trans é menos da metade da média nacional

A situação envolvendo pessoas trans no Brasil é extremamente grave. Segundo dados da Associação Nacional de Transexuais e Travestis do Brasil (Antra), a expectativa de vida de uma pessoa transexual ou travesti no País é de cerca de 35 anos - bem abaixo da média nacional, estimada pelo IBGE em 75,2 anos. Além disso, 40% de todos os assassinatos de pessoas trans registrados no mundo ocorrem em solo brasileiro. Ainda segundo a Antra, 90% das travestis e transexuais brasileiras vivem da prostituição.
Na medida em que ações voltadas a essa população vão sendo adotadas por órgãos públicos, também ocorrem reações contrárias. Em maio deste ano, deputados de dez partidos protocolaram projeto que pretende revogar o Decreto Presidencial nº 8.727. Os parlamentares alegam que a alteração ou abreviatura de nomes deve ser alvo de lei, não estando dentro do alcance de um decreto. Entidades ligadas a causas LGBT criticam a proposta, alegando que o nome social não causa mudança no registro civil.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia