Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 05 de junho de 2020.
Dia Mundial da Ecologia e do Meio Ambiente.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 05 de junho de 2020.
CONTEÚDO PUBLICITÁRIO
CORRIGIR

05/06/2019 - 03h28min. Alterada em 05/06 às 07h10min

Novos propósitos de uma empresa renovável

Mauricio Harger é diretor geral da CMPC

Mauricio Harger é diretor geral da CMPC


/Felipe Nogs/Agência Preview
A sustentabilidade está presente em todo o processo produtivo da CMPC. Na empresa, a matéria-prima é renovável e oriunda de plantações de eucalipto certificadas. Além disso, todas as atividades são desenvolvidas tendo como base os 3 Cs: criar soluções inovadoras a partir da celulose, que serve como base para vários produtos consumidos no mundo (de fraldas e lencos de papel a cosméticos, passando por grande parte das embalagens que envolvem os produtos mais tecnológicos); conviver com centenas de comunidades vizinhas, desenvolvendo iniciativas de geração de renda, educacionais, culturais e esportivas; e conservar o meio ambiente, zelando genuinamente pelos recursos naturais. Esses propósitos vão alavancar a companhia como uma referência em produção consciente no Estado.
"Muito antes de se tornar popular, a economia circular já fazia parte da CMPC, por meio do pioneirismo característico da empresa. Com o manuseio, transporte, tratamento e produção de adubo proveniente das aproximadamente 50 mil toneladas de resíduos sólidos, gerados mensalmente no processo industrial, o que corresponde a incrível eficiência de 99,7% de reutilização de resíduos da planta de Guaíba", destaca Mauricio Harger, diretor geral da CMPC.
Oriundo do propósito Conviver, a empresa, de forma transparente, disponibiliza em seu site, um Portal Ambiental com dados atualizados sobre a qualidade dos efluentes tratados, emissoes aéreas, qualidade do ar e outros dados ambientais. Tudo isso definido junto com o órgão ambiental licenciador.
"Temos um compromisso público de executar nossas operações de manejo florestal de acordo com valores ambientais e sociais preconizados pelo FSC (Forest Stewardship Council), organizacão independente, não governamental, e sem fins lucrativos, criada para promover o manejo florestal responsável no mundo. Entre os princípios e critérios estabelecidos pelo FSC, estão direitos e responsabilidades de posse e uso da terra, direitos dos povos tradicionais, gestão ambiental, plano de manejo, monitoramento e avaliacão, relacões comunitárias e direitos dos trabalhadores, manutencao de florestas de alto valor de conservacão e plantacões", expõe Mauricio.
Um dos objetivos primordiais do negócio é estar próximo às mais de 280 comunidades vizinhas, desenvolvendo iniciativas que gerem valor compartilhado.
A CMPC mapeou 62 municípios vizinhos à fábrica, aos portos, aos hortos florestais e às áreas de conservação da companhia.
"Nessas comunidades cocriamos iniciativas como a Caravana Cultural, com atividades de lazer, educacão e sustentabilidade inteiramente gratuitos para a populacão local. Este ano, são mais de 40 iniciativas. Recentemente apoiamos, juntamente com uma rede de parceiros de São Gabriel, a implantacao de um sistema de abastecimento de água potável para uma escola pública no distrito de Cerro do Ouro, localizada em uma comunidade quilombola. É nesse tipo de iniciativa que acreditamos. Cocriadas em rede e com enorme impacto social na vida das pessoas. Queremos deixar um legado positivo", comenta o executivo.
Em 2019, a CMPC completa 10 anos no Brasil e a corporação acredita que a prática sustentável deve ser a base de qualquer iniciativa ou projeção para o futuro. Por isso tem investido cada vez mais na utilização do transporte inteligente e ambientalmente responsável de madeira e de celulose.
"Retiramos das rodovias diariamente mais de 280 caminhões, uma vez que o transporte hidroviário de uma barcaça de madeira equivale à redução de 80 caminhões e, uma de celulose, à diminuição da circulação de 200 caminhões nas estradas", dimensiona Mauricio.
Também está sendo implementado um processo de transformação cultural por meio de um modelo operacional baseado nos princípios da metodologia Lean, com foco em melhoria continua e excelência operacional, seguranca do trabalho e gestão ambiental.

Ações para o dia mundial do meio ambiente

Em comemoração ao Dia Mundial do Meio Ambiente, será promovida uma série de iniciativas, como jogos internos sobre sustentabilidade, para incentivar as pessoas a terem práticas mais conscientes, como substituição do plástico por copos reutilizáveis feitos a base de fibra de eucalipto.

Os colaboradores vão ganhar humosolo para plantio de mudas, e mel advindo do projeto Favos do Sul que, desde 1981, é produzido por apicultores de pequenas cooperativas, que colocam suas colmeias junto aos plantios de eucalipto da empresa. Em contrapartida, cerca de 8% do total do mel obtido é repassado às Escolas de Educação Especial (em sua maioria, APAEs) de 23 municípios gaúchos. O projeto proporciona geração de renda para 120 apicultores e cerca de 15 toneladas de mel para as escolas de educação especial, que vendem e revertem a verba para a manutenção de suas atividades.

Maurício acredita que o cenário brasileiro está indo em direção ao maior cuidado com o meio ambiente. "Temos avançado, uma vez que a responsabilidade tem sido compartilhada entre Governo, empresas e sociedade. Uma pesquisa realizada há alguns meses pela União para o BioComércio Ético (UEBT) em nove países (Brasil, Equador, México, Estados Unidos, Reino Unido, Holanda, França, Índia e Alemanha) apontou que 89% da população brasileira considera importante consumir produtos de empresas que se preocupam em adotar boas práticas de acesso e uso de insumos naturais, ou seja, as pessoas aprovam práticas ambientais corporativas que são efetivas. Para 79% dos entrevistados é importante saber a procedência de ingredientes dos produtos que consomem e 92% declarou dar preferência a empresas que adotem políticas de respeito ao meio ambiente e à biodiversidade", cita.

Ele considera que as empresas que desejam se manter e crescer no mercado devem adotar práticas sustentáveis em todas as suas atividades e, também, com as comunidades do seu entorno, mercado de atuação e o meio ambiente. "Já evoluímos muito, mas ainda temos enormes desafios, e nossas equipes trabalham dia e noite para melhorar nossas operações e nossas práticas de gestão ambiental. O objetivo não é outro, senão o de gerar o menor impacto socioambiental possível."

COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia

Produzido por:




para: