Porto Alegre, sexta-feira, 28 de fevereiro de 2020.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

COMENTAR | CORRIGIR

Agronegócios

17/01/2020 - 15h52min. Alterada em 17/01 às 15h53min

Seara vai investir R$ 1 bilhão no Rio Grande do Sul em dois anos

Executivos da Seara mostraram ao governador como será executado o investimento

Executivos da Seara mostraram ao governador como será executado o investimento


FELIPE DALLA VALLE/PALÁCIO PIRATINI/DIVULGAÇÃO/JC
Um dos maiores grupos do agronegócio brasileiro e segundo em exportação de frangos e suínos, a Seara, vai investir R$ 1 bilhão no Rio Grande do Sul entre este ano e 2021. A informação foi divulgada pelo governo gaúcho neta sexta-feira (10). Representantes da empresa se reuniram com o governador Eduardo Leite (PSDB). 
O diretor da Seara, hoje controlada pela JBS, um dos líderes em produção global de proteínas, Ivan Siqueira informou que cerca de R$ 640 milhões serão destinados ao setor agropecuário, com investimentos na ampliação da capacidade de produção de frango, suínos e alimentos processados. Outros R$ 400 milhões serão aplicados no setor industrial, e a maior parte para ampliar unidades no Rio Grande do Sul.
A maior parte dos recursos será injetada na produção e nas unidades de Ana Rech, em Caxias do Sul, Garibaldi, Montenegro, Passo Fundo, Seberi, Três Passos e Trindade do Sul.
Na conversa, os executivos e entregaram demandas, como a ampliação das redes trifásicas na área rural,  agilidade nos licenciamentos ambientais - que deve ser assegurada, diz o Piratini, com o novo Código Ambiental sancionado, e apoio para maior oferta de crédito aos produtores.
Leite informou que vai agilizar os recursos com Banrisul, BRDE e Badesul, instituições públicas e, as últimas duas mais focadas em investimentos produtivos.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia

EXPEDIENTE

2020