Porto Alegre, quarta-feira, 22 de janeiro de 2020.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Indústria

28/05/2019 - 23h17min. Alterada em 22/10 às 15h33min

Diversificação é a palavra para fugir da crise

Tramontina corrobora com a visão de satisfação com a retomada da produção e elevação nas vendas

Tramontina corrobora com a visão de satisfação com a retomada da produção e elevação nas vendas


MARCELO G. RIBEIRO/JC
João Dienstmann
Considerado um dos termômetros da indústria, o setor metalúrgico parece deixar para trás os piores momentos da crise econômica brasileira. Em levantamento feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o setor acumula alta na produção industrial no último índice divulgado (referente a março) de 1,6% no período de 12 meses. A alta poderia ser maior, se não fosse um início de 2019 com incertezas e que puxou percentual para baixo.
Dona de um acervo que conta com 18 mil itens, a Tramontina corrobora com a visão de satisfação com a retomada da produção e elevação nas vendas. Para o presidente do Conselho de Administração, Clóvis Tramontina, o ano passado foi considerado como positivo para a empresa. "Atingimos as metas propostas em planejamento estratégico. Consolidamos novas linhas de produtos e seguimos no caminho da inovação. Nosso trabalho está na busca pela redução de custos, atuando principalmente pela competitividade frente à concorrência e a produtos importados", comenta. A instabilidade cambial e a elevação no preço do frete foram alguns pontos destacados por Clóvis para justificar uma possibilidade do resultado ser ainda melhor.
Em termos de investimentos, a empresa planeja para este ano a modernização do seu parque industrial em Carlos Barbosa, na serra gaúcha. Um plano voltado à inovação, tecnologia e automação está em vigor. A linha de ferramentas deve ter uma atenção maior, e haverá também o lançamento de mais de 150 itens para atrair a atenção dos consumidores e aumentar as vendas, principalmente voltados ao segmento de manutenção automotiva. Para Clóvis, um dos motivos para a Tramontina não sentir tantos os efeitos de instabilidades no cenário econômico é a transparência para com o consumidor. "Acima de tudo, a principal estratégia é entregar por meio de produtos tudo o que é prometido ao consumidor. A busca pela qualidade e a transparência está no DNA da Tramontina. É assim que a marca garante e amplia credibilidade", reitera.
Por estar à frente em várias linhas de produção de utensílios para casa, jardinagem, ferramentas, linhas para reparo automotivo, construção civil, dentre outros segmentos, a Tramontina consegue mensurar como esses setores se comportam. O presidente da empresa identifica que "em alguns setores, houve uma retração" no comparativo de 12 meses, mas percebe um clima otimista da indústria metalúrgica para esse ano. "Como de costume, a Tramontina está confiante. Investimos em novos projetos que irão gerar crescimento considerável para a empresa no curto prazo. Acreditamos que as medidas a serem tomadas pelo governo poderão auxiliar na redução da carga tributária e alavancar o crescimento da economia brasileira, no longo prazo", afirma Clóvis. A empresa não divulgou números do crescimento em 2018 e sobre sua projeção para esse ano.
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia