Porto Alegre, domingo, 19 de julho de 2020.
Nelson Mandela Day.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
domingo, 19 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Indústria

16/06/2020 - 14h52min. Alterada em 22/06 às 16h47min

Germani Alimentos recebe investimento de R$ 35 milhões do Grupo Dallas

Grupo sediado no Mato Grosso do Sul assumiu as operações da indústria gaúcha, detentora das massas Coroa, em 2016

Grupo sediado no Mato Grosso do Sul assumiu as operações da indústria gaúcha, detentora das massas Coroa, em 2016


Grupo Dallas/Divulgação/JC
Thiago Copetti
Com reforço de R$ 35 milhões se somando aos mais de R$ 60 milhões já aplicados em Santa Cruz do Sul desde 2016, o Grupo Dallas, de Mato Grosso do Sul, já injetou quase R$ 100 milhões na produção massas e biscoitos na cidade onde é dono da Germani Alimentos.  
Os novos recursos da companhia no município gaúcho, localizado no Vale do Rio Pardo, serão destinados a ampliar a capacidade da fábrica na fabricação de massas longas, como espaguete e linguine, e novas empacotadoras para os produtos Germani, Dallas, Coroa, Levit e Corsetti.
O reforço na estrutura começará a ser instalado em breve e deverá estar pronto em 2022. Como o novo maquinário, a capacidade produtiva da empresa na fabricação de massas longas chegará a 7 mil quilos por hora. O volume extra se somará à linha inaugurada em dezembro de 2019 para produção de massas curtas (como penne, parafuso e conchinha), com capacidade de 4 mil quilos por hora. Ou seja, ao final de 2022 a Germani poderá produzir 22 mil pacotes de macarrão de 500 gramas a cada 60 minutos.
A meta é reforçar a presença da empresa em todo Sul, Sudeste, Centro-Oeste e Norte do Brasil, de acordo com a fabricante, que não descarta, porém, dar início a exportações a partir de Santa Cruz do Sul, futuramente. Com os novos investimentos também devem vir novas contratações, mas a companhia não detalha números futuros e afirma que as novas vagas serão abertas conforme necessidades que forem surgindo. Nos últimos três meses, a empresa já contratou 83 funcionários e contabiliza, hoje, 370 funcionários no total.
“Desde que o entrou o Grupo Dallas adquiriu a Germani (em 2015), vem crescendo constantemente em importância econômica e na diversificação de atividades em Santa Cruz do Sul. Tanto que já é a 14ª em retorno de valor adicionado gerado ao município”, ressalta a secretária municipal de Desenvolvimento Econômico da cidade, Carina Panke da Silva.
Carina explica que o investimento não teve nenhuma concessão de benefícios fiscais, mas apenas obras de infraestrutura do entorna da unidade. Desde 2016, quando começou efetivamente a investir na operação da Germani Alimentos, o Grupo Dallas já havia aplicado R$ 62 milhões em três novos fornos para produção de biscoitos e empacotadoras, além de reforços nas linhas de massas e reformas na unidade fabril. A meta, diz a empresa, é tornar a unidade uma das principais indústrias nos segmentos de massas, biscoitos e cereais do Brasil.
O Grupo Dallas, apesar ter sede Mato Grosso do Sul, tem suas “origens” no Rio Grande do Sul. Foi criada em 1983 por empreendedores que migraram para lá e operavam com atividades agropecuárias. Com a forte atuação na pecuária e no cultivo e comercialização de cereais _ como soja, milho, trigo _ novos negócios começaram a surgir. Em 1996, foi inaugurado o parque industrial da Dallas Alimentos, para produção de massas, biscoitos e misturas para bolo, beneficiamento e industrialização de arroz, em Nova Alvorada do Sul (MS). Em 2013, inaugurou uma indústria especializada na produção de massas de cortes curto e longo em Cabreúva (SP). Até que em 2015 adquiriu a Germani Alimentos e suas marcas centenárias, como a massas Coroa.
Das fazendas às massas
- O Grupo Dallas opera na produção industrial de alimentos, agricultura, pecuária, transporte e logística, importação e exportação de grãos, entre outras atividades. Ao todo, conta com três plantas industriais.
- O complexo produtivo conta, ainda, com dezessete silos para armazenagem e secagem de grãos, dois armazéns graneleiros com capacidade de estoque de até 103.000 toneladas/ano de grãos, uma unidade de beneficiamento e industrialização de arroz (com capacidade de 500 t por dia), além de moinho (com capacidade de beneficiamento de 450 toneladas por dia), contabilizando mais de 60 mil m² de área construída.
- A base industrial é complementada com três centros de distribuição (em Campo Grande, Cuiabá e Goiânia), que ajudam na entrega dos alimentos de Norte a Sul do Brasil, além de embarques para outros países.
Fonte: Grupo Dallas
Comentários CORRIGIR TEXTO

EXPEDIENTE

2020