Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 28 de maio de 2018.
Dia da Saúde.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

eleições 2018

Notícia da edição impressa de 29/05/2018. Alterada em 28/05 às 21h24min

Manifestações de 2013 ainda ecoam, diz Alvaro Dias

O senador e pré-candidato à presidência da República Alvaro Dias (Pode) afirmou ontem, no plenário do Senado, que a paralisação dos caminhoneiros é uma continuação do movimento iniciado com as manifestações de 2013. Para ele, a população segue em luta contra a corrupção e a desigualdade de oportunidades.
Para o senador, a greve poderia ser evitada se os governos de Michel Temer (MDB) e da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) tivessem ouvido a categoria e o próprio Congresso Nacional. Ele lembrou que, há tempos, os caminhoneiros reclamam do baixo valor dos fretes, do alto preço dos combustíveis e das dificuldades de pagar as prestações de financiamento de caminhões.
Dias questionou ainda a política de preços da Petrobras e a decisão de importar combustível.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia