Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 22 de abril de 2018.

Jornal do Comércio

Cultura

COMENTAR | CORRIGIR

ACONTECE

Notícia da edição impressa de 23/04/2018. Alterada em 20/04 às 17h06min

Grupo lança financiamento coletivo para série sobre o budismo no Brasil

Paulo Pastorelo é um dos idealizadores da série documental Três joias

Paulo Pastorelo é um dos idealizadores da série documental Três joias


CLAITON DORNELLES/JC
Os responsáveis pela série documental Três joias, sobre o desenvolvimento e a prática do budismo no Brasil, estão realizando campanha de financiamento coletivo para a finalização dos três episódios que compõem o trabalho. A produção é dividida em capítulos sobre Buda (ou a natureza búdica existente nos seres), Darma (os ensinamentos) e Sangha (comunidade). Já as contribuições acontecem através do site Kickante, com recompensas para os apoiadores: artistas brasileiros e japoneses doaram obras que serão destinadas aos participantes.
De acordo com Paulo Pastorelo, um dos idealizadores da série, entram em pauta experiências marcantes - e seus desdobramentos - no País. No último episódio, por exemplo, o diretor e roteirista Kentaro Sugao coloca em foco três realidades: das Sanghas ao redor do Templo Shin Budista de Brasília, do CEBB em Viamão (RS) e da ViaZen (RS).
Já finalizadas, as gravações contam com participações de nomes como Mona Coen, Padma Samten, Enios Burgos, José Fonseca, Celso Marques, Dionísia, e José Ricardo Buscke, entre outros. Cada parte da trilogia terá uma hora de duração.
Há previsão de um evento de lançamento em Porto Alegre, no final de setembro, assim como o registro em DVD. Os documentários serão reunidos em um box, acompanhados por uma publicação com textos dedicados a temas relacionados ao assunto. O plano da Ebisu Filmes, produtora paulista que desenvolveu o projeto, é exibir o produto em plataformas de Video On Demand - mas negociações com televisões também não estão descartadas.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia