Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 04 de junho de 2017. Atualizado às 17h40.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Trabalho

31/05/2017 - 09h55min. Alterada em 31/05 às 09h57min

Taxa de desemprego no Brasil chega a 13,6%, segundo IBGE

Em um ano, mais 2,6 milhões de pessoas passaram a procurar trabalho no país

Em um ano, mais 2,6 milhões de pessoas passaram a procurar trabalho no país


MARCELO G. RIBEIRO/JC
Folhapress
A taxa de desemprego no país atingiu 13,6% no trimestre encerrado em abril, informou o IBGE na manhã desta quarta-feira (31). De acordo com o instituto, 14 milhões de brasileiros estão desempregados. Foi a pior taxa de desemprego para o período desde o início da série histórica da pesquisa, em 2012. Representa uma alta de 1 ponto percentual com relação ao trimestre encerrado em janeiro, que foi de 12,6%.
Na comparação anual do indicador, o aumento foi de 2,4 pontos percentuais. No trimestre encerrado em abril de 2016, a taxa estava em 11,2%. Isso significa que, em um ano, mais 2,6 milhões de pessoas passaram a procurar trabalho no país. Na comparação com o trimestre encerrado em janeiro, foram 1,1 milhão de pessoas a mais procurando emprego.
Os dados constam da Pesquisa Nacional por Amostra de Domício Contínua (Pnad Contínua), a pesquisa oficial de emprego do instituto. O indicador é calculado por trimestre. Na divulgação desta quarta (31), refere-se ao período entre fevereiro e abril de 2017.  O rendimento médio do trabalhador ficou estável, diz o IBGE, tanto na comparação com trimestre anterior quanto com o mesmo trimestre de 2016, em R$ 2.107.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários