Jane vende esta echarpe de seda com estampa vegetal por R$ 280,00 Jane vende esta echarpe de seda com estampa vegetal por R$ 280,00 Foto: Niágara Braga/Especial/JC

Aprenda a fazer: Ecoprint - técnica de tingimento vegetal

A estamparia pode ser aplicada em qualquer tecido dando personalidade e agregando valor as peças

O Ecoprint é uma técnica de estamparia apenas com vegetais, ou seja, toda coloração é extraída de flores e plantas. Este tingimento em tecido, pode ser feito em qualquer tipo de peça, desde roupas até acessórios, personalizando o material. A forma ecológica de tingimento e a estética agregam valor ao produto, para quem deseje investir como um negócio ou renda extra. Neste GeraçãoEnsina, a artista Jane Leonetti, nos ensinou a aplicar a técnica em uma echarpe de seda, que é vendida por R$ 280,00 em seu atelier.
O que usar:
- Peça de tecido (usamos um recorte de seda);
- Folhas, ervas, flores (os vegetais irão dar a cor e os desenhos na peça);
- Bastão de ferro ou PVC (cerca de 5cm de bitola e 30cm de comprimento – pode variar conforme tamanho da peça);
- Cordas, cordões ou redes (usamos redes recolhidas dos oceanos, pois além de estilizar a peça também agrega valor ecológico);
- Vinagre de álcool;
- Panela grande (que caiba o bastão em posição horizontal e totalmente mergulhado) com água fervente e erva mate (ajuda a colorir – deixa mais escuro);
Como fazer:
- Molhe todo o tecido com vinagre e estenda em uma superfície plana (o vinagre ajuda a fixar a cor e melhora o manuseio do tecido).
- Distribua os vegetais sobre o tecido estendido (a disposição das plantas, conforme suas cores e formatos, é o que vai dar a personalidade a peça).
- Enrole o tecido no bastão e amarre de forma bem firme (a escolha entre cordas, cordões ou redes é significante pois sua pressão sob o tecido também registra marcas na peça).
- Submerja o bastão na água fervente com erva mate e deixe, no mínimo, 30 minutos. O bastão deve ficar em posição horizontal e totalmente coberto. Quanto mais tempo a peça ficar na água, mais escura será sua coloração. É importante não deixar a água ferver enquanto está com o bastão. Desta forma, antes de colocar o objeto, a água que estará fervente esfriará, e deve permanecer nesta temperatura. Então, o indicado é baixar o fogo assim que colocar a peça na água.
- Deixe esfriar, desamarre, desenrole e lave a peça em água fria.
- Com o tecido ainda molhado (é importante ser molhado, porque senão a peça pode enrijecer), passe com o ferro quente, de forma que seque a peça no ato de passar.
- Após dois dias, no mínimo, lave com sabão e amaciante e está pronto!

A artista aposta em compartilhar seu conhecimento em vez de vender as peças

Ao fundo, a obra Jane vende esta echarpe de seda com estampa vegetal por R$ 280,00 Foto: Niágara Braga/Especial/JC
Jane Leonetti já é um nome conhecido no artesanato e nas artes em tecido, devido a prêmios, como o de Melhor Mostra no 10º Festival de Quilt e Patchwork de Gramado, em 2009, e também o fato de levar seu trabalho para fora do país, em exposições nos Estados Unidos e França. O que mais a destaca é o trabalho que realiza com a técnica de pathwork figurativo, uma espécie de composição com retalhos de tecidos que formam imagens.
“Gosto de fazer releituras de obras de arte. Gosto do desafio de fazer com o tecido o que o pintor fez com a tinta”, comenta ela.
A gaúcha de 63 anos é formada em Física, mas dedicou maior tempo de sua vida à maternidade e ao hobbie do artesanato, que se tornou atividade principal aos 45, quando começou a dar aulas sobre as técnicas que conhecia. “Eu estudo e repasso o conhecimento. Viajo para outros países e trago o que aprendi para meus alunos”, conta. Ultimamente, tem buscado especialização na técnica de feltragem em roupas através de viagens a Buenos Aires.
A artesã explica preferiu repassar o conhecimento em vez de apenas vender o que produz: “Não tenho preço para colocar, tem um valor muito grande para mim”, conta que comercializa apenas alguns itens, como a echarpe que ensinou.
Suas aulas funcionam no próprio Stúdio Q, na rua Dr. Timóteo, 395, bairro Moinhos de Vento, e abrangem o conhecimento de Ecoprint, Pathwork e Feltragem. Além das aulas, Jane também realiza eventos no local, como o QBrechó, uma feira de artesanatos que teve sua segunda edição em setembro deste ano.
Compartilhe
Comentários ( 7 )
  1. Marlene Maciel Barbuio

    Gostaria muito de comprar uma Apostila...beijos obrigadl

  2. Marlene Maciel Barbuil

    Gostaria de saber se vc vende apostilas estou tingindo mas sou auto de data estou tendo dificuldade em implimir as estampas no tecido. Tambem a apricaçao do mordente. Voce pode me ajudar.Sou amante da Natureza

  3. Lídia

    Vi os trabalhos, são lindos. Tentei fazer da forma ensinada , mas as folhas fucaram impressas muito fracas no tecido, como a Cíntia Ruiz citou..o que estou fazendo de errado. Obrigado

  4. CINTIA RUIZ

    Olá, Sou professora de artes em Embu das Artes e tentei fazer com meus alunos a ecoprint, entretanto as imagens das folhas não apareceram. Usei folhas verdes e secas da mata da escola e enrolamos em pedaços de madeira. Ficou na água quente por mais de 30 min sem ferver. Também mergulhei no vinhagre antes de usar os tecidos de algodão. Não usei o chá mate pq ele iria escurecer a peça.. Vc poderia me ajudar? Qual o erro que cometi? Obrigada

  5. Irene Teixeira

    Obrigada pela partilha do seu conhecimento! como faz para que a àgua não ferva, durante os 30 minutos que indica?

  6. Irene

    como faz para que a gua no ferva, durante 30 minutos? obrigada

  7. Irene Teixeira

    obrigada por partilhar seu conhecimento

Publicidade
Mostre seu Negócio