A peça pode ser produzida por menos de R$ 2,00 e vendida por R$ 9,00 A peça pode ser produzida por menos de R$ 2,00 e vendida por R$ 9,00 Foto: Especial/JC

Aprenda a fazer: Marcador de página de coruja

A peça pode ser produzida por menos de R$ 2,00 e vendida por R$ 9,00

Os marcadores de página de coruja são os itens mais vendidos pela Arte em Ponto em feiras de artesanato. “As pessoas compram para dar de presente e porque é barato”, explica a artesã Anelise Dutra, 35 anos que comercializa a peça por R$ 9,00.
Porém, apesar de o preço de venda ser considerado baixo por ela, é uma ótima opção para quem deseja uma renda extra, pois a unidade pode ser produzida por menos de R$ 2,00 (é possível diminuir este valor utilizando retalhos de tecidos), se tornando altamente rentável.
Tutorial detalhado
O que precisa:
- Feltro (4 cores complementares);
- 2 botões para os olhos (também pode ser olhos próprios para artesanato;
- 38 cm de elástico do tipo chato;
- Retalho de tecido (tom que combine com o feltro);
- Linha de bordado
- Trancelim ou renda (para enfeitar);
- Apliques para enfeite;
- Enchimento acrílico;
- Termolina leitosa;
- Agulha;
- Cola quente;
- Cola universal ou de silicone;
- Tesoura;
- Alicate de unha;
Como fazer:
- Recorte os tecidos conforme a indicação no molde (leia as instruções para os moldes abaixo);
- No tecido de algodão, passe termolina na linha de recorte para, então, recortar (isso faz com que o tecido não desfie);
- Com todas as partes recortadas, cole os elementos, conforme indicado no vídeo, utilizando cola universal ou de silicone;
- Após colar todas as partes, costure a peça com ponto caseado, centralizando o elástico nas extremidades, conforme o vídeo;
- Antes de terminar a costura, preencha a peça com enchimento acrílico e finalize;
- Com cola quente, cole os olhos (se utilizar botões – como usamos no vídeo, tire a base do botão com um alicate, mas é possível utilizar olhos próprios para artesanato, ou botões que não possuam base);
- Se preferir enfeite a peça com adereços, e está pronto!
Instruções para utilizar os moldes
Anelise Dutra utiliza este e outros moldes disponíveis gratuitamente no blog Érica Catarina
- Salve a imagem acima, imprima em folha A4 e recorte (se preferir cole em um papelão ou material mais resistente e recorte novamente, criando um molde firme).
- O nº 1 corresponde às asas, que devem ser de feltro (em tom que combine com a cor que será utilizada no corpo).
- O nº 2 corresponde aos olhos, que devem ser de feltro branco. O círculo menor é relativo aos botões (esta parte não deve ser considerada no recorte).
- O nº 3 corresponde ao nariz, que deve ser de feltro amarelo ou laranja;
- O nº 4 corresponde às patas, que devem ser de feltro e podem ser da mesma cor do bico. Em nosso modelo não utilizamos patas, que podem ser dispensáveis.
- O nº 5 corresponde ao corpo, que deve ser de feltro e possuir duas camadas.
- O nº 6 corresponde à barriga, que deve ser de algodão estampado.

Psicóloga troca carreira por artesanato e qualidade de vida

1364705 Anelise Dutra, da Arte em Ponto, desenvolve trabalhos em tecidos e feltros Foto: NIÁGARA BRAGA/NIÁGARA BRAGA
Doze anos trabalhando no setor de Recursos Humanos de uma grande varejista, renderam para a psicóloga Anelise Dutra, 35 anos, muito orgulho pelo trabalho desenvolvido, mas também uma equivalente escassez de tempo. Quando se tornou mãe, em 2013, este tempo pesou ainda mais, então resolveu se afastar do emprego durante um ano.
Ainda retornou ao trabalho por questões financeiras, porém na metade de 2015 percebeu que não era mais a antiga profissão que lhe fazia feliz, mas sim, o tempo que investia no seu hobbie de infância, o artesanato, e o convívio com a filha. Assim, resolveu largar o emprego e fundar a sua empresa de trabalhos manuais, a Arte em Ponto.
“Ganho a metade do que ganhava, mas posso dar uma qualidade de vida melhor para minha filha”, conta que trabalha cerca de oito horas por dia.
Quando a psicóloga resolveu transformar a paixão em fonte de renda, sua maior dificuldade foi encontrar maneiras de comercializar seus produtos, que sempre foram vendidos pela mãe, também psicóloga e artesã. “Quando ela faleceu, em 2014, precisei descobrir como vender”, lamenta a perda.
O que lhe ajudou muito nas vendas foi a criação da loja no site Elo7, em que já recebeu encomendas de outros estados do Brasil e até de fora do país. Mas Anelise revela que o que também dá muito retorno é a divulgação dos produtos em grupos segmentados de artesanato no Facebook.
“Uma postagem apenas na minha página rende aproximadamente 600 visualizações e quando coloco em um grupo chega até 8 mil pessoas”, a artesã conta que participa de 62 grupos na rede social. Anelise também participa de feiras, e recentemente, começou a expor seus produtos em uma loja física de artesanato, a Artesanato Bazzaz, localizada na Av. 24 de Outubro, 111 - loja 49.
Compartilhe
Artigos relacionados
Comentários ( 0 )
Deixe um comentário

Publicidade
Newsletter

HISTÓRIAS EMPREENDEDORAS PARA
VOCÊ SE INSPIRAR.

Receba no seu e-mail as notícias do GE!
Faça o seu cadastro.





Mostre seu Negócio