Porto Alegre, quinta-feira, 17 de março de 2022.
Dia Internacional da Marinha. Dia de São Patrício.
Porto Alegre,
quinta-feira, 17 de março de 2022.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Eleições 2022

- Publicada em 16/03/2022 às 13h45min.

Leite vira atração em ato do PSD e é pressionado sobre candidatura ao Planalto

Leite foi ao ato de filiação de Ana Amélia e acabou roubando a cena e as atenções do PSD

Leite foi ao ato de filiação de Ana Amélia e acabou roubando a cena e as atenções do PSD


FERNANDA SOPRANA/ESPECIAL/JC
Fernanda Soprana
A filiação da secretária estadual e ex-senadora Ana Amélia Lemos ao Partido Social Democrático (PSD), nesta quarta-feira (16) em Porto Alegre, acabou virando um ato com manifestações contundentes pró-candidatura do governador Eduardo Leite pelo partido à Presidência da República.
A filiação da secretária estadual e ex-senadora Ana Amélia Lemos ao Partido Social Democrático (PSD), nesta quarta-feira (16) em Porto Alegre, acabou virando um ato com manifestações contundentes pró-candidatura do governador Eduardo Leite pelo partido à Presidência da República.
O presidente nacional da sigla, Gilberto Kassab, que veio ao Estado para prestigiar o ingresso da ex-senadora, puxou o tom. Leite também estava no evento e fugiu pela tangente ao ser provocado, mas foi recebido com entusiasmo pelos sociais-democratas. 
Apesar da cerimônia ser voltada à filiação e confirmação da pré-candidatura de Ana Amélia ao Senado, Kassab aproveitou a cena, com salão lotado no Plaza São Rafael, para pressionar o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, sobre a pré-candidatura nas eleições presidenciais de 2022 pela sigla.
Leite foi à agenda, e foi recebido em clima de euforia, comprovando a expectativa para seu lançamento pela sigla, o que vai exigir a saída do PSDB.
Em coletiva à imprensa, Kassab ressaltou a qualificação de Leite para assumir a presidência e afirmou que a decisão está nas mãos do governador, atualmente filiado ao PSDB, mas que terá o apoio do partido seja qual for o caminho escolhido.
“Posso dizer que existe uma torcida enorme dentro e fora do PSD, não é só o PSD que quer tê-lo como presidente. Ele (Leite) é uma enorme esperança para milhões de brasileiros que não estão contentes com a atual administração, mas que também não querem voltar ao passado", reforçou o presidente do PSD.
"O Eduardo é esperança, é renovação. Jovem, mas experiente. Ele saberá no momento certo da sua decisão — se aceitará, ou não, o convite. Qualquer que seja a sua decisão, terá o nosso respeito”, completou o dirigente nacional.
Questionado sobre a possibilidade de apoiar a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), caso chegue ao segundo turno, Kassab respondeu:
"Todo o nosso trabalho é para que o PSD esteja com Eduardo Leite no segundo turno".
Presente no evento, o gestor estadual foi mencionado por todos que discursaram, entre eles a presidente do PSD/RS, Letícia Letícia Boll Vargas, o vice-governador Ranolfo Vieira Júnior (PSDB), e o prefeito de Canoas, Jairo Jorge (PSD).
Leite foi o último a falar, depois de Ana Amélia, e não fez menção sobre a possibilidade de filiação ao PSD nem à pré-candidatura presidencial.
“Falaram em mim em alguns momentos, mas hoje o dia é todo teu”, disse o governador à pré-candidata ao Senado Federal.
“O PSD é nosso parceiro, que está do nosso lado aqui no Rio Grande do Sul, transformando o nosso Estado junto com a gente.”
A convite de Kassab, Leite está em negociações para deixar o PSDB e se juntar ao PSD desde o início do ano. Nessa terça-feira (15), o tesoureiro nacional do PSDB, César Gontijo, cobrou atitude "ética" de Leite, mencionando que a provável saída do partido representaria um "desastre financeiro".
Caso a pré-candidatura de Leite à presidência seja oficializada, a gestão do Rio Grande do Sul deve ser assumida pelo atual vice-governador, Ranolfo Vieira Júnior. Durante a cerimônia, o governador destacou a confiança que deposita no vice.
“O Rio Grande do Sul é outro em todas as áreas, e na segurança pública isso se deve muito à parceria do Ranolfo. Mas ele não está nos ajudando só na área da segurança — é meu parceiro leal para decisões estratégicas de governo. Ele conhece cada detalhe, cada informação, cada projeto que está tramitando e eu tenho essa segurança de ter ao meu lado alguém como ele”, relatou Leite.
Segundo a Pesquisa Genial/Quaest divulgada nesta quarta, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) mantém a liderança nas intenções de voto para a Presidência no primeiro turno, com 44% na pesquisa estimulada, seguido pelo presidente Jair Bolsonaro (PL), com 26%.
Leite apareceu com 1% e 3% em dois cenários do estudo. No último, há um número reduzido de candidatos.
Conteúdo Publicitário
Comentários CORRIGIR TEXTO