Porto Alegre, quarta-feira, 11 de novembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 11 de novembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

justiça

- Publicada em 15h20min, 11/11/2020.

Site do TJRS é invadido por hacker, que deixa mensagem contra 'estupro culposo'

Hacker desconfigurou a página do eproc e fez críticas ao sistema de justiça

Hacker desconfigurou a página do eproc e fez críticas ao sistema de justiça


JOYCE ROCHA/JC
Fernanda Soprana
O sistema Eproc (de peticionamento eletrônico) do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul foi hackeado no início da tarde desta quarta-feira (11). 
O sistema Eproc (de peticionamento eletrônico) do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul foi hackeado no início da tarde desta quarta-feira (11). 
Em mensagem deixada no lugar da página habitual, o responsável pela invasão afirmava que "o sistema de justiça é corrupto" e criticava o "estupro culposo", termo utilizado pelo veículo Intercept Brasil para explicar a sentença de André Aranha na acusação de estupro pela influencer Mari Ferrer.
O título identifica o responsável pela invasão à página como "DemonSad" do Global Illusion Crew, grupo que já desconfigurou páginas de instituições públicas em todo o País.
{'nm_midia_inter_thumb1':'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2020/11/11/206x137/1_print_tjrs-9186783.jpg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5fac1a5ea835d', 'cd_midia':9186783, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2020/11/11/print_tjrs-9186783.jpg', 'ds_midia': 'Página do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul TJRS é hackeada eproc', 'ds_midia_credi': 'TJRS/REPRODUÇÃO/JC', 'ds_midia_titlo': 'Página do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul TJRS é hackeada eproc', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '800', 'cd_midia_h': '477', 'align': 'Left'}
Página do TJRS foi hackeada em torno das 13h desta quarta-feira. Foto: Reprodução/JC
Mais tarde, o TJRS informou, por meio de nota, que "o hotsite informativo do eproc foi adulterado por hackers, porém sem comprometimento dos sistemas". "Constatou-se que o ataque não atingiu processos e outros bancos de dados do Judiciário estadual", diz o texto divulgado.
O TJRS ainda informou que o problema havia sido corrigido e que medidas foram adotadas para rastrear a autoria do ato, assim como para evitar novas invasões.
O caso de Mari Ferrer, de 23 anos, foi julgado no dia 5 de novembro. Acusado de estupro, André Aranha foi inocentado por falta de provas. O resultado e a divulgação de imagens da audiência levaram a manifestações virtuais e protestos em diversas cidades do Brasil.
Comentários CORRIGIR TEXTO