Porto Alegre, quinta-feira, 24 de setembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 24 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

EDUCAÇÃO

- Publicada em 16h49min, 24/09/2020. Atualizada em 19h17min, 24/09/2020.

Volta às aulas 'é mais do que opção, é necessidade', diz Leite ao defender calendário

Atividades escolares no RS são permitidas apenas para cidades em bandeira laranja hà mais de duas semanas

Atividades escolares no RS são permitidas apenas para cidades em bandeira laranja hà mais de duas semanas


CRISTINA QUICLER/AFP/JC
Fernanda Crancio
O governador Eduardo Leite criticou nesta quinta-feira (24) as pessoas e movimentos que não querem a volta das atividades da educação no Rio Grande do Sul. Durante a última live regular realizada direto do Palácio Piratini, o chefe do Executivo gaúcho disse que o retorno às aulas presencias "é mais do que uma opção, é uma necessidade".
O governador Eduardo Leite criticou nesta quinta-feira (24) as pessoas e movimentos que não querem a volta das atividades da educação no Rio Grande do Sul. Durante a última live regular realizada direto do Palácio Piratini, o chefe do Executivo gaúcho disse que o retorno às aulas presencias "é mais do que uma opção, é uma necessidade".
"Escola não é um item não essencial, aprendizagem e conhecimento não podem ser contemplados como algo supérfluo e que possam ficar para mais adiante", destacou.
O recado foi direcionado a grupos que têm demonstrado insatisfação com o calendário apresentado pelo governo gaúcho para a retomada das escolas, como os sindicatos dos professores das redes pública e privada, movimentos de pais e a Frente Gaúcha de Juventudes em Defesa da Educação, que comandou protesto em frente ao Piratini na quarta-feira (23), sob o lema “Volta às aulas é crime".
"Crianças e jovens não podem ficar um ano inteiro sem acesso ao conhecimento e apoio das aulas, terão sofrido impacto psicológico e físico pela ausência de estímulo das escolas. Insistimos no retorno das aulas com cuidados, protocolos e distanciamento. As pessoas devem estar na rua em defesa da volta às aulas. Escolas fechadas não são vidas preservadas, porque a vida é muito mais e a escola é chance de proporcionar uma vida melhor para as pessoas", enfatizou Leite.
O governador também cobrou a responsabilidade dos prefeitos nesse sentido. "Conclamo os prefeitos a fazerem um esforço para viabilizar a retomada das aulas com segurança nos municípios", completou.
{'nm_midia_inter_thumb1':'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/png/2020/09/24/206x137/1_image__4_-9146996.png', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5f6ce7da05fa5', 'cd_midia':9146996, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/png/2020/09/24/image__4_-9146996.png', 'ds_midia': 'Governador do Rio Grande do Sul Eduardo Leite - Live Covid-19 Facebook', 'ds_midia_credi': 'FACEBOOK/REPRODUÇÃO/JC', 'ds_midia_titlo': 'Governador do Rio Grande do Sul Eduardo Leite - Live Covid-19 Facebook', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '800', 'cd_midia_h': '449', 'align': 'Left'}
Governador defendeu unidade do calendário de volta às aulas para todo o Rio Grande do Sul. Crédito: Reprodução/JC
Ele também se manifestou sobre o impasse em torno do calendário proposto pela prefeitura de Porto Alegre, que prevê atividades com aluno a partir do dia 5 de outubro, contrariando o cronograma estadual, que apresenta cinco datas para o retorno escalonado das aulas (quadro abaixo), porém apenas para cidades com bandeira laranja no distanciamento controlado há mais de duas semanas seguidas, o que ainda não é o caso da Capital.
Após ser cobrada pelo governo para detalhar seu plano para a Educação, a prefeitura encaminhou na quarta-feira (23) a proposta ao Executivo, que a considerou conflitante com o calendário estadual. "Nenhum argumento trazido pela prefeitura justifica os protocolos diferentes dos do Estado, é um cronograma diferente e que acaba colidindo com o do Estado. Estamos dialogando, mas mantemos a regra e Porto Alegre deve se submeter como os outros municípios", reforçou Leite.
Ao defender a unificação do regramento que permite a retomada das atividades escolares, o chefe do Executivo gaúcho disse ainda que a decisão traz segurança ao processo em todo o Rio Grande do Sul. "O papel do Estado é coordenar para para que tenhamos um retorno seguro em todos os municípios", completou.
Calendário de volta às aulas do governo do Estado:
  • Educação Infantil: 8 de setembro
    Ensino Superior, Ensino Médio e Ensino Técnico: 21 de setembro
    Ensino Fundamental - anos finais: 28 de outubro
    Ensino Fundamental - Anos Iniciais: 12 de novembro
    Escolas da Rede Estadual: 13 de outubro
Comentários CORRIGIR TEXTO