Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 26 de setembro de 2018.
Dia Nacional dos Surdos.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Questão Agrária

26/09/2018 - 17h15min. Alterada em 26/09 às 17h23min

Justiça nega recurso a PM que matou sem-terra; condenação prevê 12 anos de prisão

Policial militar foi condenado por homicídio qualificado; apelação foi julgada nesta tarde

Policial militar foi condenado por homicídio qualificado; apelação foi julgada nesta tarde


MST/Divulgação/JC
O recurso apresentado pela defesa do policial militar Alexandre Curto dos Santos, condenado por matar um membro do movimento sem-terra com um tiro pelas costas em 2009, foi negado por unanimidade.
A apelação foi julgada nesta quarta-feira (26) pela 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio Grande Sul. Na decisão, o juiz Mauro Borba definiu que Santos deve voltar a cumprir a pena de 12 anos de reclusão. 
Além de determinar a imediata prisão do réu, o juiz decidiu enviar ao Procurador-Geral de Justiça uma cópia do relatório apresentado pelo advogado da família da vítima, o qual aponta para indícios de violação de direitos humanos durante a ação da Brigada Militar.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia