Porto Alegre, quinta-feira, 17 de setembro de 2020.
Dia do Transportador Rodoviário de Carga.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 17 de setembro de 2020.

Galeria de imagens

Profissionais do Imesf fazem ato de um ano das demissões em Porto Alegre

Profissionais de saúde ligados ao Instituto Municipal de Estratégia de Saúde da Família (Imesf), que chegou a ter a extinção definida em julgamento do STF, marcaram, nesta quinta-feira (17) em Porto Alegre, um ano do anúncio de demissões de 1,8 mil trabalhadores. Em ato em frente ao Paço Municipal, Sindisaúde, Sindicato dos Enfermeiros e a categoria fizeram críticas ao prefeito Nelson Marchezan Júnior. Com máscara, que cumpre regra da pandemia, cartazes chamavam "Marchezan-limão", em alusão à frase usada por Marchezan, logo que fez a notificação das dispensas de 1.840 pessoas e necessidade de extinção do Imesf, de que teria de fazer do "limão (decisão do Supremo) uma limonada", para manter o atendimento. O fim do instituto se mantém no STF. Ações judiciais tramitam nas Justiças do Trabalho e Federal. O presidente do Sindisaúde, Julio Jesiel, diz que 1.350 funcionários ainda atuam - só saiu quem pediu -, e defende a absorção do quadro pelo município. Termo de ajustamento de conduta impede a terceirização da assistência.   
 

FOTO SINDISAUDE/DIVULGAÇÃO/JC
17/09/2020 - 14h35min