Porto Alegre, sexta-feira, 10 de janeiro de 2020.

Jornal do Comércio

Galeria de imagens

Escolas em greve expõem impasse entre governo e Cpers

Enquanto o impasse entre governo estadual e Cpers-Sindicato não se resolve, as marcas da greve estão em diversos locais. Em Porto Alegre, o Colégio Inácio Montanha sinaliza em faixa o alerta sobre o movimento e o que a mobilização envolve: "A luta pela escola pública é de todos. Não só dos professores". Segundo a Secretaria Estadual da Educação, pouco mais de 80 escolas, das 2 mil existentes, estão com paralisação. A greve estourou em 18 de novembro, e pelo menos 25 dias letivos precisam ser repostos para concluir o ano letivo de 2019. O governo propôs pagar descontos dos grevistas em folha suplementar, mas não recua na intenção de descontar os dias parados. O secretário da Educação, Faisal Karam, disse que até pode rever a medida, dependendo de como será a recuperação. O Cpers-Sindicato marcou para dia 14 assembleia que decidirá sobre a proposta. O governador Eduardo Leite mandou recados: "Se não voltarem às aulas imediatamente, uma consequência eles terão: perderão mais um mês de salário".     
 

FOTO PATRICIA COMUNELLO/ESPECIAL/JC
10/01/2020 - 13h22min