Porto Alegre, sexta-feira, 09 de agosto de 2019.
Dia Internacional dos Povos Indígenas.

Jornal do Comércio

Galeria de imagens

China se rende ao QR-Code e até vilas rurais aderem ao código para pagamentos

O uso de QR-Code - código lido pela câmara do celular e que conecta rapidamente informações de produtos e serviços para pagamentos -, está mesmo disseminado pela China. Não só as grandes e médias cidades não vivem mais sem o simbolozinho. Na aldeia Dali Shu, em Dandong, na fronteira com a Coreia do Norte, vendedores de artesanato e itens como chás, estampam o selo do código nas suas banquinhas de rua. A vendedora (foto) tem quiosque na rua principal da vila e faz questão de mostrar o código para indicar que cita o pagamento por meio digital. No lugarejo, vivem 1,6 mil famílias que produzem frutas, grãos como milho e hortigranjeiros. O aplicativo chinês Wechat, que alcançou mais de 1 bilhão de usuários em 2019 - majoritariamente na China, com 1,4 bilhão de habitantes -, é um dos canais que popularizaram o uso do QR-Code. O app tem uma ferramenta para compras, que dispensa cartão.
 

FOTO Patrícia Comunello/Especial/JC