Porto Alegre, sexta-feira, 15 de março de 2019.
Dia Mundial do Consumidor. Dia da Escola.

Jornal do Comércio

Galeria de imagens

Graciele Ugulini admite em interrogatório que matou Bernardo Boldrini

No quarto dia de julgamento do caso Bernardo, em Três Passos, no Rio Grande Sul, a madrasta do Bernardo Boldrini, Graciele Ugulini confessou ser a responsável pela morte da criança. Em lágrimas, Graciele definiu a morte do menino de 11 anos como ''um estúpido acidente'' e ''uma sucessão de erros''. No interrogatório, contou que viajava com Bernardo de carro para Frederico Westphalen e que ele estava agitado. Para acalmar o menino, deu um remédio para fazer Bernardo dormir. Graciele conta que jogou a bolsa para o banco de trás do carro e falou para Bernardo tomar mais um medicamento e seguiu dirigindo. Ao parar, a madrasta tentou acordar o menino que segundo ela não tinha mais os movimentos respiratórios. Graciele afirma ter percebido a ausência dos remédios e não aceitou a sugestão da amiga, Edelvânia, de levar o menino para o hospital por medo do iriam pensar. Graciele afirma que Edelvânia cavou o buraco e elas enterraram a criança. Graciele inocentou o pai de Bernardo, Leandro Boldrini afirmando que ele não sabia de nada. 
 

FOTO MP RS/ divulgação/JC
15/03/2019 - 17h36min