Porto Alegre, terça-feira, 27 de outubro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
terça-feira, 27 de outubro de 2020.

Galeria de imagens

Médicos cubanos embarcam em Brasília de volta para Cuba

Segurando bandeirinhas do Brasil e de Cuba e com adesivos escritos "somos mais que médicos", um grupo de cubanos que fazia parte do programa Mais Médicos deixou o país na quinta-feira (22). Em voos fretados pela Organização Pan-americana de Saúde (Opas), em cooperação técnica com o Ministério da Saúde, homens e mulheres saíram de Brasília com destino a Havana, em Cuba. A previsão da Opas é que esse processo dure até o dia 12 de dezembro, com retornos de quatro cidades: Brasília, Manaus, Salvador e São Paulo. Os profissionais estão saindo dos municípios onde residiam, muitos no interior do país, para os aeroportos. O rompimento do acordo ocorre por decisão do governo cubano após desaprovação de condições impostas pelo presidente eleito Jair Bolsonaro, como a não retenção de parte da remuneração dos médicos, que ficava com a administração cubana.
 

FOTO Karina Zambrana/Fotos Públicas/JC
23/11/2018 - 12h15min