Porto Alegre, sexta-feira, 16 de outubro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 16 de outubro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Futebol Brasileiro

- Publicada em 19h41min, 16/10/2020.

Santos e Robinho, condenado por violência sexual, entram em acordo e suspendem contrato

Robinho foi condenado em primeira instância na Itália pelo estrupo coletivo de uma jovem

Robinho foi condenado em primeira instância na Itália pelo estrupo coletivo de uma jovem


IVAN STORTI/SANTOS FC/JC
O Santos anunciou no começo da noite desta sexta-feira (16) que decidiu suspender a validade do contrato firmado com Robinho no último sábado 10. "O Santos Futebol Clube e o atleta Robinho informam que, em comum acordo, resolveram suspender a validade do contrato firmado no último dia 10 de outubro para que o jogador possa se concentrar exclusivamente na sua defesa no processo que corre na Itália", diz nota do clube.
O Santos anunciou no começo da noite desta sexta-feira (16) que decidiu suspender a validade do contrato firmado com Robinho no último sábado 10. "O Santos Futebol Clube e o atleta Robinho informam que, em comum acordo, resolveram suspender a validade do contrato firmado no último dia 10 de outubro para que o jogador possa se concentrar exclusivamente na sua defesa no processo que corre na Itália", diz nota do clube.
O atleta postou um vídeo em seu Instagram, dizendo que não quer atrapalhar o clube e que provará sua inocência, agradecendo o apoio dos fãs. “Com muita tristeza no coração, venho falar para vocês que tomei a decisão junto do presidente de suspender meu contrato neste momento conturbado da minha vida. Meu objetivo sempre foi ajudar o Santos Futebol Clube. Se de alguma forma estou atrapalhando, é melhor que eu saia e foque nas minhas coisas pessoais. Para os torcedores do Peixão e aqueles que gostam de mim, vou provar minha inocência”, afirmou Robinho.
O atleta foi condenado em primeira instância na Itália por violência sexual em grupo, em 2017, fato que trouxe enorme repercussão para o retorno do atleta ao clube da Vila Belmiro e levou ao menos quatro dos seus patrocinadores a exigirem a desistência do acordo para manterem seus contratos.
Comentários CORRIGIR TEXTO