Porto Alegre, terça-feira, 27 de novembro de 2018.
Dia do Técnico de Segurança do Trabalho. Dia Internacional de Combate ao Câncer.

Jornal do Comércio

COMENTAR | CORRIGIR

Novos cursos

23/11/2018 - 16h15min. Alterada em 27/11 às 15h01min

Blockchain vai virar pós-graduação na Faculdade Dom Bosco

Pós-graduação em desenvolvimento de Blockchain será ofertada pela Dom Bosco em março de 2019

Pós-graduação em desenvolvimento de Blockchain será ofertada pela Dom Bosco em março de 2019


VISUALHUNT/DIVULGAÇÃO/JC
A febre das criptomoedas, com a mais conhecida delas, o bitcoin, cujo valor chegou a superar a barreira de R$ 60 mil no final de 2017 – hoje, um bitcoin vale cerca de R$ 20 mil – abriu o mercado para a criação de novas unidades de valor. No entanto, a necessidade de criar regras para esse tipo de transação e principalmente propiciar um ambiente seguro para que elas ocorram fez nascer a blockchain.
Em síntese, o termo pode pode ser traduzido como um livro de registros das transações armazenado a partir de centenas de milhares de computadores espalhados pelo mundo. Para um hacker acessar esse tipo de informação e acessar as informações, por exemplo, precisaria invadir centenas de milhares de computadores espalhados pelo mundo ao mesmo tempo.
O tema será fruto de uma pós-graduação em desenvolvimento de Blockchain ofertada pela Faculdade Dom Bosco. A primeira turma será formada em março de 2019, com cerca de 30 vagas disponíveis. O professor e coordenador do curso, Filipo Mor, conta que o assunto ainda está na sua “infância”, por conta de uma série de dúvidas sobre questões relacionadas ao desempenho aliada à segurança.
“A blockchain está para o sistema bancário hoje como estava a música digital estava para a indústria fonográfica. Há alguns anos, o CD era a febre praticamente não existem mais no cenário atual. É uma tecnologia libertária”, afirma Mor. Neste ano, a tecnologia completou 10 anos desde a sua criação.
O principal foco da pós-graduação é atrair desenvolvedores para evoluir no tema e descobrir outras possibilidades de uso da blockchain. O professor e coordenador entende que as cidades inteligentes podem ser reguladas por essa tecnologia, através do tráfego, por exemplo. Além disso, questões como autenticação em cartórios poderiam ser feitas da mesma forma.
“É possível expandir a blockchain para controle de tudo, estoques, produtos, rastreamento de valores. A segurança proporcionada é grande o suficiente para garantir a tranquilidade de quem a utiliza. Queremos com essa pós trabalhar em projetos e tornar o acesso mais popular”, segundo Mor. A dificuldade em achar profissionais capacitados também foi uma das motivações para iniciar esse curso, revela o docente.
A pós-graduação terá disciplinas aliadas ao Direito e à Economia, pois ainda não regulamentação sobre criptomoedas no Brasil. Em outros países, como os Estados Unidos e a Suíça, a presença de normas embasa a criação de projetos, por isso, haverá o cuidado de estabelecer limites no que for produzido em sala de aula. A Faculdade Dom Bosco também possibilitará o aluno a fazer o curso por módulos, no qual o interessado poderá cursar parte do currículo proposto.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia

Faça aqui a sua pesquisa por área ou instituição de ensino

Pesquisa por palavra-chave:

Instituição:


Área:


Tipo de curso:











Base de dados com 1043 cursos de 31 instituições no Rio Grande do Sul.


EXPEDIENTE

Editor-Chefe: Guilherme Kolling | Editora Cadernos Especiais: Ana Fritsch | Produção: Fernanda Crancio / Reportagem: João Dienstmann | Pesquisa de cursos: Melissa Renz | Website: Thiago Machado, Paulo Serpa Antunes e i94.Co. - Jornal do Comércio