Porto Alegre, quarta-feira, 22 de janeiro de 2020.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Prêmio Exportação ADVB

COMENTAR | CORRIGIR

Entrevista

Notícia da edição impressa de 18/06/2019. Alterada em 08/06 às 00h00min

Reconhecimento e inspiração para trilhar o caminho da vitória

Prêmio Exportação é uma chancela às empresas que percorreram as agruras do mercado interno e que alcançaram o externo, ressalta Forest

Prêmio Exportação é uma chancela às empresas que percorreram as agruras do mercado interno e que alcançaram o externo, ressalta Forest


CLAITON DORNELLES /JC
Caren Mello
Presidente do Conselho do Prêmio Exportação ADVB deste ano, Fabrício Forest vê, neste que é considerado o maior evento do segmento no País, uma chancela às empresas que enfrentaram as dificuldades de 2018 e abriram novos caminhos no mercado internacional. A busca de novas fronteiras, segundo ele, é um fator gerador de emprego e renda. A vocação gaúcha de diversificar seus negócios colaborou para a busca de uma segurança que não encontraram no mercado interno, projetando suas marcas de forma globalizada.
Presidente do Conselho do Prêmio Exportação ADVB deste ano, Fabrício Forest vê, neste que é considerado o maior evento do segmento no País, uma chancela às empresas que enfrentaram as dificuldades de 2018 e abriram novos caminhos no mercado internacional. A busca de novas fronteiras, segundo ele, é um fator gerador de emprego e renda. A vocação gaúcha de diversificar seus negócios colaborou para a busca de uma segurança que não encontraram no mercado interno, projetando suas marcas de forma globalizada.
Jornal do Comércio - O que o Prêmio Exportação deste ano quer falar aos participantes?
Fabrício Forest - Neste ano, o Prêmio Exportação se propôs a ser uma plataforma de conteúdo global. Queremos que seja para a comunidade exportadora gaúcha mais do que um simples reconhecimento, mas uma plataforma que gere conhecimento. Tivemos o Almoço da Exportação, com uma palestra para este público, e vamos ter, ao longo do ano, as Arenas da Exportação. Elas dão continuidade ao que tivemos no ano passado, quando trouxemos empresas vencedoras para contarem suas histórias para a comunidade e, quem sabe, inspirar outros empresários que eventualmente tenham alguma dificuldade, e os motivarem a participar desse mercado internacional. Com esse prêmio, o conselho quer mais que reconhecer, quer reconhecer para inspirar. Buscamos, nessas empresas, a inspiração para que outras percorram o mesmo caminho da exportação e da vitória.
JC - E qual a importância do prêmio para a economia do Rio Grande do Sul?
Forest - Não tenho dúvida de que o Prêmio Exportação é uma chancela às empresas que percorreram as agruras do mercado interno e que alcançaram o externo, um mercado muito importante, sobretudo em um momento em que a economia nacional não está bem. Ele traz divisas, traz emprego e renda, e gera atividade econômica. O prêmio é um incentivo para que elas permaneçam buscando o mercado internacional.
JC - Qual a sua avaliação sobre a movimentação do ano passado?
Forest - Enfrentamos, obviamente, um momento que não foi fácil com as disputas entre Estados Unidos e China, e problemas na agroindústria na China, por exemplo. O mercado internacional não passa, hoje, por um momento de extrema pujança, mas não tenho dúvida que ele sempre vai ser, não só uma alternativa, como um bom caminho para a empresa nacional que queira diversificar seus negócios e encontrar lá fora uma segurança que não encontra no mercado interno. Em um momento desses, uma empresa grande ou pequena que conseguiu superar barreiras internas ou externas e que alcança um prêmio tem um incentivo a mais.
JC - E qual o setor que teve mais destaque nesta edição?
Forest - O prêmio tem duas categorias: a Quantitativa, que são as maiores do Estado em números; e a Qualitativa, com indicações do conselho, contemplando todos os setores. Neste ano, tivemos um prêmio bem equilibrado nos vários setores. Já na categoria de Personalidade Competitividade Internacional, o conselho escolheu um empresário em quem buscamos inspiração e que gostaríamos que a sociedade e todos os empresários buscassem esse exemplo para que possamos seguir a nossa saga na exportação gaúcha.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia