Porto Alegre, quarta-feira, 19 de maio de 2021.
Dia Nacional da Defensoria Pública.
Porto Alegre,
quarta-feira, 19 de maio de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

PREFEITURA DE PORTO ALEGRE

- Publicada em 19h45min, 19/05/2021. Atualizada em 19h48min, 19/05/2021.

Em live do Lide RS, Melo diz que quer marcar gestão por incentivo ao desenvolvimento

Comandante do Paço Municipal (d) falou das perspectivas para o futuro da Capital

Comandante do Paço Municipal (d) falou das perspectivas para o futuro da Capital


Reprodução/ JC
Fernanda Crancio
Convidado pelo Grupo de Líderes Empresariais do Rio Grande do Sul (Lide-RS) para participar da 15ª edição do Lide Live, na noite desta quarta-feira (19), o prefeito de Porto Alegre, Sebastião Melo, falou aos empresários gaúchos sobre as perspectivas para a gestão da Capital. Dentre as principais abordagens, destacou que quer marcar sua administração por ações voltadas ao empreendedorismo, incentivo ao desenvolvimento da cidade e à proteção social.
Convidado pelo Grupo de Líderes Empresariais do Rio Grande do Sul (Lide-RS) para participar da 15ª edição do Lide Live, na noite desta quarta-feira (19), o prefeito de Porto Alegre, Sebastião Melo, falou aos empresários gaúchos sobre as perspectivas para a gestão da Capital. Dentre as principais abordagens, destacou que quer marcar sua administração por ações voltadas ao empreendedorismo, incentivo ao desenvolvimento da cidade e à proteção social.
"Nosso governo tem um traço voltado ao desenvolvimento e à inovação, quero marcar a gestão como amiga do empreendedor, facilitando a abertura de negócios e desburocratizando a atração de investimentos", disse.
Melo enfatizou ainda a intenção de não aumentar impostos na Capital. "Vamos tentar aumentar a arrecadação sem aumentar impostos", destacou, apontando ainda o cancelamento do reajuste do IPTU.
O prefeito ressaltou também a proposta de revitalizar o Centro Histórico, defendida desde a campanha eleitoral que o elegeu, e garantiu que vai melhorar o cenário da região. "Invistam no Centro, que vocês vão ganhar dinheiro, porque vou melhorar o Centro. O Cais Embarcadero é só um pedacinho do que pode ser feito", disse, ressaltando ainda a intenção de "diminuir o muro da vergonha", referindo-se ao Muro da Mauá.
Na live, conduzida pelo presidente do Lide, Eduardo Fernandez, Melo disse ainda que coordena um projeto para melhorar as entradas da cidade, consideradas por ele "muito feias", e que aposta na finalização dos projetos de revitalização de trechos da Orla do Guaíba e nos investimentos no Cais Mauá e na concessão do Parque da Harmonia como formas de atrair turistas para a Capital, evitando que a cidade siga sendo apenas passagem para os visitantes que se direcionam à Serra.
O comandante do Paço Municipal falou também das dificuldades em gerir a cidade em meio à pandemia, voltou a defender o equilíbrio entre saúde e economia, e destacou o decreto municipal publicado nesta quarta-feira (19), que avançou em flexibilizações para os setores, adequando as atividades da Capital ao Sistema 3As de controle estadual da pandemia. "Com o decreto regional todas as atividades estão voltando a funcionar", ressaltou.
Problemas antigo da cidade, como a mobilidade urbana, também foram abordados. "Nós temos desafios postos pela pandemia, mas coisas que se escancararam, como a integração do transporte coletivo. Hoje, é o pobre que financia a mobilidade urbana da cidade", avaliou. O prefeito reafirmou que vai privatizar a Carris, mas disse que precisa discutir a questão da mobilidade também, "que faliu antes da pandemia".
Ao encerrar sua participação no encontro virtual, que durou menos de uma hora, Melo defendeu ainda uma "verdadeira reforma tributária no Brasil", voltada à diminuição de impostos aos menos favorecidos, e informou que busca uma aliança com outros prefeitos de capitais, como os de São Paulo (SP) e Curitiba (PR), para evitar mudanças no ISS dos municípios. Falou também que tinha a expectativa de que a gestão do presidente Jair Bolsonaro fosse "de um governo que desestatizasse, o que não aconteceu".
Comentários CORRIGIR TEXTO
Conteúdo Publicitário