Porto Alegre, quarta-feira, 02 de dezembro de 2020.
Dia Nacional do Astrônomo. Dia do Samba. Dia Pan-Americano da Saúde.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 02 de dezembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Serviços

- Publicada em 16h23min, 02/12/2020. Atualizada em 18h19min, 02/12/2020.

Comércio de Porto Alegre poderá abrir das 6h às 20h; bares e restaurantes fecham mais cedo

Shopping centers que funcionavam até as 22h poderão abrir mais cedo, a partir das 6h

Shopping centers que funcionavam até as 22h poderão abrir mais cedo, a partir das 6h


JOYCE ROCHA/JC
Patrícia Comunello
Nova mudança no funcionamento do comércio e de bares e restaurantes de Porto Alegre, para se ajustar às novas regras da bandeira vermelha, baixadas pelo governo Eduardo Leite. Decreto municipal prevê que o varejo poderá abrir das 6h às 20h, em qualquer dia da semana. Com isso, shopping centers fecharão mais cedo.
Nova mudança no funcionamento do comércio e de bares e restaurantes de Porto Alegre, para se ajustar às novas regras da bandeira vermelha, baixadas pelo governo Eduardo Leite. Decreto municipal prevê que o varejo poderá abrir das 6h às 20h, em qualquer dia da semana. Com isso, shopping centers fecharão mais cedo.
Lojas de centros comerciais maiores podiam manter as portas abertas até as 22h. As definições foram tomadas pelo comitê de combate ao novo coronavírus, após reunião nesta quarta-feira (2). O governo Leite suspendeu temporariamente a cogestão, que permitia às regiões adotar regras da bandeiras de menor risco. A Capital está em bandeira vermelha.
A prefeitura aproveitou a falta de limitação para abertura mais cedo para compensar a ordem de funcionar até as 20h, que está no dispositivo em vigor para a bandeira vermelha (confira o que mudou), de maior risco na pandemia. As novas orientações entram em vigor nesta quinta-feira (3), diz a prefeitura.
A mudança para o comércio atendeu aos pedidos do setor, diz o presidente do Sindilojas, Paulo Kruse. Segundo Kruse, as entidades do varejo solicitaram a abertura mais cedo, já que a norma estadual teria de ser seguida. Além disso, os shoppings abriam a partir das 12h.
"Havíamos pedido isso (abrir mais cedo), já que o governo estadual havia trancado até as 20h. Felizmente, deu certo", comemora o dirigente.
Kruse explica que a expectativa é que as lojas abram às 9h, como já é no comércio de rua, e que, mais perto do Natal, o funcionamento comece às 8h. Claro que, já que a abertura é a partir das 6h, cada comerciante pode definir o que melhor se ajusta ao seu negócio e condições de atendimento. 
Em nota, a gestão informou que os restaurantes, bares e similares poderão funcionar com atendimento presencial até as 22h, que é o limite da norma estadual. Telentrega (delivery) e pague e leve (take-away) podem ser feitas até as 23h, também seguindo a nova disposição para bandeira vermelha.  
"O município entende a intenção do Estado em restringir o horário de funcionamento e concorda com o momento epidemiológico da decisão, mas está atento às possibilidades de flexibilizações dessa medida pela repercussão econômica negativa no setor", comunicou a gestão.
Sobre a limitação para frequentar os 600 espaços entre parques e praças, Porto Alegre vai se ajustar à orientação geral, que vale para todas as localidades na cor vermelha. Desde fim de setembro, a Capital não entrava no regime de alto risco, mas o crescimento de casos de Covid-19 e internações alterou o panorama, elevando o alerta.
Algumas entidades ligadas a bares e restaurantes do Estado reagiram com críticas às limitações. O setor já tinha a liberalidade de abrir mais cedo. A Abrasel-RS argumenta, por exemplo, que o turno da noite atrai um perfil de cliente que não é igual ao do almoço. A entidade chegou a enviar carta do governo estadual pedindo a revisão da restrição do horário.     
Comentários CORRIGIR TEXTO