Porto Alegre, quarta-feira, 23 de setembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 23 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Crédito

- Publicada em 13h46min, 14/09/2020. Atualizada em 16h51min, 14/09/2020.

Bradesco e Santander também esgotam recursos do Pronampe

Bradesco e Santander atuaram pela pela primeira vez na linha para MPEs e profissionais liberais

Bradesco e Santander atuaram pela pela primeira vez na linha para MPEs e profissionais liberais


MONTAGEM FOTO ALEXANDRE AULER/ARQUIVO/JC
Patrícia Comunello
Dois dos maiores bancos do Pais já não têm mais recursos para repassar do Pronampe para micro e pequenas empresas e profissionais liberais. O Bradesco informou, na manhã desta segunda-feira (14), que esgotou os R$ 1,3 bilhão disponíveis. O Santander diz que repassou a mesma cifra "praticamente no primeiro dia de operação, em 3 de setembro, mas deve terminar logo.  
Dois dos maiores bancos do Pais já não têm mais recursos para repassar do Pronampe para micro e pequenas empresas e profissionais liberais. O Bradesco informou, na manhã desta segunda-feira (14), que esgotou os R$ 1,3 bilhão disponíveis. O Santander diz que repassou a mesma cifra "praticamente no primeiro dia de operação, em 3 de setembro, mas deve terminar logo.  
Banco do Brasil informou que os recursos esgotaram na largada da segunda fase, dando conta de pedidos que haviam sido feitos ainda na primeira fase. A Caixa tem R$ 2 bilhões, segundo nota e vai usar no limite da disponibilidade do Fundo de Garantia de Operações (FGO), que cobre os riscos dos empréstimos em caso de inadimplência.    
"O Banco operou na segunda fase do Pronampe e disponibilizou o total de recursos que corresponde a R$ 1,3 bi. O Banco já operou na totalidade", informou, em nota, o Bradesco. O banco não fez contratos na primeira fase do programa.
O Santander, que também entrou no Pronampe nesta segunda etapa, informou que liberou "praticamente todo o recurso disponível de R$ 1,3 bilhão" no primeiro dia da operação.
O Itaú-Unibanco informou que ainda está contratando pela linha de MPEs.
Só que o Itaú tem feito a ressalva que atua mais focado para outras linha, também incluídas nas ações do governo federal na pandemia. "Não temos uma expectativa de até quando ela deve ficar aberta (Pronampe)", acena a instituição.
Na sexta-feira (11), Banrisul e Sicredi informaram que tinham recursos. Nesta segunda-feira, as duas instituições ainda não atualizaram a informação.
Pelos últimos dados do relatório do FGO, que é gerido pelo Banco do Brasil, foram repassados R$ 9,8 bilhões até sexta-feira- o Rio Grande do Sul repassou pouco mais de R$ 1 bilhão. A fase dois do programa tem R$ 12 bilhões, que podem chegar a R$ 14 bilhões, com parte de recursos próprios dos bancos.  
Comentários CORRIGIR TEXTO