Porto Alegre, terça-feira, 02 de junho de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
terça-feira, 02 de junho de 2020.
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Agronegócios

01/06/2020 - 21h19min. Alterada em 02/06 às 01h19min

Prefeitura de Caxias do Sul quer parar produção de frigorífico da JBS com surto de Covid-19

'Precisamos, neste momento, conter o surto. Não vemos outra decisão', diz o prefeito da cidade

'Precisamos, neste momento, conter o surto. Não vemos outra decisão', diz o prefeito da cidade


ANDREIA COPINI/DIVULGAÇÃO/JC
Roberto Hunoff
A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de Caxias do Sul enviará relatório ao Ministério Público do Trabalho (MPT) sugerindo o fechamento do frigorífico da JBS, localizado em Ana Rech, bairro da maior cidade da serra gaúcha, que tem surto de Covid-19. Além da suspensão, o órgão da prefeitura quer triagem e testagem em massa dos funcionários. 
A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de Caxias do Sul enviará relatório ao Ministério Público do Trabalho (MPT) sugerindo o fechamento do frigorífico da JBS, localizado em Ana Rech, bairro da maior cidade da serra gaúcha, que tem surto de Covid-19. Além da suspensão, o órgão da prefeitura quer triagem e testagem em massa dos funcionários. 
 
As medidas foram definidas após reunião, na manhã desta segunda-feira (1º), com a diretoria da empresa da JBS. Os diretores apresentaram ações que já teriam sido tomadas, como o distanciamento na linha de produção e no restaurante, barreiras físicas de acrílico nos postos de trabalho, higienização e desinfecção do espaço e a retirada de bancos, além da contratação de 20 fiscais para circulação pela empresa para verificar o cumprimento das ações.
As medidas foram implementadas depois da visita à planta de abate de suínos de auditor fiscal da Secretaria do Trabalho do Ministério da Economia, gerência de Caxias do Sul, em 22 de maio.
A médica infectologista e diretora das Vigilâncias em Saúde, Andréa Dal Bó, fez um breve relato sobre a situação da empresa. "No dia 13 de maio, tivemos o primeiro caso notificado de Covid-19. No dia 20, começou o pico. Temos a esposa de um funcionário sem sintomas que está internada em enfermaria. O que estamos acompanhando agora é reflexo de 14 dias atrás", observou a médica.
O titular da SMS, Jorge Olavo Hahn Castro, demonstrou preocupação com a situação e expôs a posição da pasta.
"Mesmo com as medidas, não conseguiremos conter o surto sem parar a linha de produção. Por isso, vamos encaminhar documento ao Ministério Público, sugerindo o fechamento da unidade. Precisamos identificar e isolar todos os funcionários e fazer testagem em massa para resolver a situação o mais breve possível. Queremos manter o diálogo, acreditamos que vocês estão interessados em nos ajudar, mas temos responsabilidade com toda a população de Caxias", argumentou o secretário.
A SMS irá monitorar a testagem dos trabalhadores e de seus contactantes, que ficará a cargo do frigorífico, e fará o rastreio epidemiológico para auxiliar na contenção do surto.
No fim da tarde desta segunda, o prefeito Flávio Cassina recebeu a diretoria do frigorífico, que entregou relatório de melhorias feitas. Com o gesto, a empresa tenta reverter a decisão de fechamento temporário. Cassina reiterou a importância de parar a linha de produção.
"Precisamos, neste momento, conter o surto. Não vemos outra decisão. É importante firmarmos uma parceria com vocês para que a pausa seja o mais breve possível", assinalou o gestor. Nesta terça-feira (2), a equipe da Vigilância Epidemiológica irá na empresa para iniciar o plano de testagem. De acordo com a secretaria, há 20 funcionários com testagem positiva para a Covid-19.
O MPT informou, nesta segunda, que quase 25% dos casos da doença no Estado estão em frigoríficos. São 9,9 mil registros no total estadual. Boletim da Vigilância em Saúde do Estado também indicou na semana passada surtos em 21 plantas de abate. A mais recente a parar e fazer testagem em massa foi a de frangos da Agroaraçá, situada em Nova Araçá, na serra gaúcha, próximo a Bento Gonçalves. A unidade ficou parada três dias e retornou a fazer abates nesta segunda, com 40% dos funcionários. 
Comentários