Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 07 de dezembro de 2018.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Roberto Brenol Andrade

Palavra do Leitor

Edição impressa de 07/12/2018. Alterada em 07/12 às 01h00min

Multa só para quem desiste?

Agora, o comprador de imóvel na planta terá que pagar até 50% de multa quando desistir da compra ainda na planta (Jornal do Comércio, página 7, edição de 06/12/2018). Ora, enquanto isso temos vários empreendimentos paralisados aqui em Porto Alegre, alguns há anos, e não se lê notícias de providências contra os responsáveis pelas obras. É a famosa atitude/frase, dois pesos, duas medidas. (Raul Freitas de Lages, Porto Alegre)
Criminalidade
Estava demorando a crítica contra "a violência" de policiais militares que enfrentaram e mataram bandidos. Esquecem que um jovem gerente de banco e pai de duas filhas foi morto também. Bandido tem que ter medo da polícia, ou a insegurança vai continuar. (Telmo Fialho, Guaíba/RS)
Política tributária dos EUA
A política tributária dos Estados Unidos da América (EUA) é a mais socialista do planeta, não é por acaso que todos desejam viver nesse maravilhoso país, mesmo de forma ilegal. A carga tributária dos EUA tem como base 83,08% de sua arrecadação incidindo sobre a Renda, Lucro, Ganho de Capital, Folha Salarial e Propriedade (classes privilegiadas da nação americana), e apenas 16,92% incidindo sobre Bens e Serviços (arroz, feijão, remédios, transportes e educação). Com uma carga tributária total de apenas 26,0% do PIB. Sem dúvida, o país mais socialista do mundo. (Ricardo Bergamini, analista financeiro)
Esperança
Nós, brasileiros, sempre temos esperança em dias melhores, mesmo que eles demorem ou, como nos últimos anos, acabem mesmo não vindo. Porém, com um novo presidente da República e um novo governador do Estado, vamos torcer para que tudo acabe melhorando. (Celso Ramos, Porto Alegre)
ICMS
Com a movimentação de deputados estaduais e federais, para a manutenção do ICMS no RS, a solução para o cidadão que vai pagar a conta é aderir a uma espécie de Tea Party brasileiro, ou seja, repetir o que anos atrás foi, nos EUA, um movimento nas redes sociais contra aumento de impostos, chamado Tea Party. Aqui, o ICMS de 18% deverá acabar em 2018. (Rafael Alberti Cesa, Caxias do Sul/RS)
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia