Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 06 de maio de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Inovação

Notícia da edição impressa de 07/05/2018. Alterada em 06/05 às 22h20min

Endeavor escolhe empresas gaúchas para o programa de aceleração Scale-Up

Milena cita alguns diferenciais apresentados pelas operações

Milena cita alguns diferenciais apresentados pelas operações


/JONATHAN HECKLER/JC
Patricia Knebel
Foram quatro meses de seleção para encontrar as 16 empresas com maior potencial de crescimento no Rio Grande do Sul. E, de quebra, escolher os empreendedores que participarão da edição de 2018 do Scale-Up, programa de aceleração realizado pela Endeavor, organização global de apoio a empreendedorismo e empreendedores de alto impacto.
A iniciativa tem duração de sete meses e conecta empreendedores a uma rede de mentores para apoiar o crescimento de seus negócios. “Temos quase 80% de mortalidade das startups. É uma tarefa árdua conseguir passar vale da morte, e conseguir ter uma solução já validada pelo mercado e conseguir escalar. Por isso, precisamos apoiar essas operações que chegaram a esse outro nível de maturidade”, comenta a coordenadora da Endeavor no RS, Milena Dalacorte.
As scale-ups são uma espécie de irmãs mais velhas das startups, que já superam a fase de colocar a operação de pé, modelar o negócio e entender o produto que vai ofertar, e para que tipo de público. Estão nessa categoria as empresas que crescem pelo menos 20% ao ano em faturamento ou número de funcionários, e que conseguem esse resultado por, pelo menos, três anos consecutivos.
Outra peculiaridade, explica Milena, é que essas operações conseguem se tornar escaláveis por questões internas, como o seu modelo de negócios, e não externas. “Uma fabricante de bebidas pode ter um aumento considerável nas vendas durante a Copa do Mundo, mas isso aconteceu por uma situação específica, e não por ter um negócio estruturado internamente para isso”, exemplifica.
Os desafios das scale-ups são diferentes dos vividos pelas startups, e é isso que será endereçado pela Endeavor. É o momento de se preparar para receber investimentos, reter talentos, estruturar a máquina de vendas e criar um modelo robusto de gestão e governança. “O empreendedorismo de alto impacto é um dos principais motores do crescimento econômico e é nesse perfil de operação que a estamos mirando”, relata a gestora.
A primeira etapa gaúcha do programa acontece essa semana, e reunirá mentores da rede da Endeavor que vão entrevistar os empreendedores participantes e entender melhor o desafio que vai ser trabalhado ao longo do ano. Mais de 300 mentores devem acompanhar essas empresas até o final de 2018. O programa envolve ainda encontros individuais e coletivos, onde são discutidos desafios comuns a todos.
“Ao final deste período, a nossa expectativa é conseguir ter conseguido impactar verdadeiramente o crescimento destes negócios”, comenta Milena. No ano passado, foram 250 scale-ups aceleradas pela Endeavor em todo Brasil e os números surpreendem: 55% delas aumentaram o faturamento e 50% o número de funcionários, além de um total de 4 mil postos de trabalho criados.

Empresas selecionadas para a edição gaúcha do Scale-up 2018

Patricia Knebel
  • Delivery Much: Aplicativo para pedido de refeições online com foco em pequenas e médias cidades.
  • Brasil Paralelo: Mídia 100% independente que busca transformar o imaginário popular brasileiro ao lançar obras audiovisuais, geralmente no formato filme documentário.
  • Alright: Serviços e tecnologias para alavancar as receitas dos veículos digitais.
  • Pulsus: Ferramenta para gestão de dispositivos móveis corporativos, em projetos operacionais, que garante todos os controles necessários, agregando segurança, ganho de performance e redução de custos.
  • Isla Sementes: Pioneira na América Latina na produção e comercialização de sementes de hortaliças, flores, temperos, ervas e árvores nativas.
  • Wedy: Primeira one-stop-shop para casamentos do Brasil, levando inspiração, planejamento e organização para o evento.
  • CupcakeEntertainment: Desenvolve jogos digitais que ajudam as pessoas a exercitar o cérebro, enquanto se divertem.
  • B2B Reservas: Oferece uma solução única, da reserva ao pagamento, conectando hotéis, agências e empresas de forma ágil e segura.
  • Lojas Calci: Sapataria com jeito de boutique, buscando proporcionar acesso à moda ao maior número de pessoas.
  • Rocket Chat: É referência em software de mensagens corporativas, open-source, conectando todos os tipos de negócios para comunicação e colaboração.
  • Cíngulo: Empresa que pretende melhorar a saúde emocional das pessoas com mini-sessões interativas e dinâmicas, técnicas de SOS e um diário emocional, cujos conteúdos, técnicas e exercícios são feitos por especialistas.
  • Melhor Envio: Plataforma gratuita que possibilita às lojas virtuais terem acesso a fretes mais baratos de diversas transportadoras do Brasil, sem a necessidade de contrato com cada uma delas.
  • Weber Haus: Especialista na elaboração de cachaças artesanais de excelência, atuando no mercado nacional e internacional.
  • uMov.me: Plataforma de negócios móveis, focada em soluções de mobilidade para a automação de processos e gestão de atividades em campo.
  • Doc9: Software de logística forense, gerenciamento e treinamento da rede de parceiros, oferecendo para as maiores bancas de advocacia do Brasil um fluxo muito mais inteligente.
  • Odara: Produz e comercializa alfajores e odaritos produzidos de maneira artesanal.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia